Pré-Conferência Municipal de Direitos Humanos

Publicado em 11/11/2019 - 22:20 | Atualizado em 12/11/2019 - 16:24

 

Cerca de 100 pessoas da sociedade civil e representantes do governo participaram na manhã de hoje da 4ª Pré-Conferência Municipal de Direitos Humanos das 1ª e 2ª CASDH, na Casa dos Pobres, em Copacabana.

O objetivo do evento é mobilizar as representações de órgãos públicos e entidades da sociedade civil, em cada território para levantar os avanços e dificuldades enfrentados para a efetiva implementação do Plano Municipal de Direitos Humanos (PMDH).

Cada eixo poderá ter três novas propostas de ações programáticas, além de supressão e aglutinação. Todo material será sistematizado e levado para a 3ª Conferência Municipal de Direitos Humanos, que acontece no dias 10 e 11 de dezembro.

Jocelene de Assis Carvalho, doutora em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e assistente social da Secretaria Municipal de Educação (SME), palestrou sobre o tema “Direitos Humanos, o que temos a ver com isso?”, quando ela falou da participação da sociedade dentro dos Direitos Humanos:

“A garantia dos Direitos Humanos é dividida entre a família, o Estado e a sociedade de uma forma geral. Então, nós, enquanto indivíduos, temos que nos sensibilizar, entender para garantir os direitos humanos” – disse a assistente ressaltando que a responsabilidade do cumprimento desses direitos é de todos.

Quésia Betânia, subsecretária de Direitos Humanos, disse que a 3ª Pré- Conferência tem por objetivo debater as temáticas territoriais elaborando assim as propostas de cada território para se somar à proposta da conferência maior.

“Sairemos daqui com este material e levando para a conferência em dezembro, vamos repensar, reavaliar as propostas construídas adequando à realidade atual da cidade” – disse a subsecretária lembrando que nas conferências foram discutidos seis eixos, que serão transformados na proposta municipal que irão prevalecer por mais quatro anos, para melhorar a realidade da cidade do Rio de Janeiro.

Monsenhor Aroldo da Silva Ribeiro, da Paróquia Nossa Senhora de Copacabana e Santa Rosa Lima, foi o pároco responsável por ceder o espaço para que a pré-conferência pudesse ser realizada. Na ocasião, ele e o secretário João Mendes conversaram sobre políticas públicas voltadas para os que vivem em vulnerabilidade social.

Monsenhor Aroldo também cumprimentou o secretário e, representando Dom Orani Tempesta, arcebispo da Cidade do Rio de Janeiro, também estendeu os cumprimentos ao prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

“É muito importante a conferência para o Plano Municipal de Direitos Humanos, que tem de ser efetivado em sua totalidade. Somos uma Secretaria de direitos e por eles lutamos para que tenhamos uma sociedade civilizada e solidária” – enfatiza João Mendes.

Também nas pré-conferências estão sendo eleitos delegados para a Conferência. São cinco delegados governamentais e cinco da sociedade civil por CASDH, além de dois suplentes por representação.

A Pré-conferência terminou com uma apresentação do grupo “Patota do Galo”, com muito samba e percussão das comunidades do Pavão, Pavãozinho e Cantagalo.