Prefeitura capacita população abrigada para inserção no mercado de trabalho

Publicado em 09/11/2021 - 09:42 | Atualizado
Assistência Social, curso, projeto Resgate, Trabalho e RendaAs aulas são ministradas por profissionais designados pela Secretaria de Trabalho e Renda - Prefeitura do Rio

A Secretaria de Trabalho e Renda (SMTE) e a Secretaria de Assistência Social (SMAS) firmaram parceria para promover cursos de preparação para o mercado de trabalho para pessoas em situação de rua que estão em abrigos da Prefeitura. O Projeto Resgate consiste na promoção de aulas de aprimoramento profissional e pessoal desse público, com foco na empregabilidade e na geração de renda, além do resgate da cidadania através da reinserção social.

 

– Quando o cidadão tem a possibilidade de retornar ao mercado de trabalho recebe a chance de sair definitivamente das ruas, que é um dos grandes desafios da Assistência Social – disse a secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro. Ela informou ainda que, em outubro, foram reinseridas socialmente 33 das mais de 600 pessoas acolhidas pela Prefeitura.

 

– O Projeto Resgate consiste na inclusão de pessoas em situação de rua no mercado de trabalho, por meio da capacitação profissional. Junto com a Secretaria de Assistência Social, queremos resgatar a cidadania dessas pessoas promovendo a empregabilidade e a geração de renda – destacou o secretário de Trabalho e Renda, Sérgio Felippe.

 

O curso começa nesta terça-feira (9/11) e será composto por quatro encontros. A primeira turma será formada no prazo de duas semanas. As demais – a parceria deverá promover um curso por mês – terão aulas semanais. Todos os participantes serão indicados pela SMAS. Serão abordados os seguintes temas: apresentação pessoal;  informações sobre a utilização de mídias sociais; instruções para montar um currículo atrativo; e dicas para apresentação em entrevistas de emprego.

As aulas serão ministradas por profissionais designados pela Secretaria de Trabalho e Renda e acontecerão terças e/ou quintas-feiras, das 9h às 11h, na sala de treinamentos do órgão.

A partir da segunda turma, também poderão participar dos cursos pessoas em situação de vulnerabilidade social que não estão em situação de rua, mas vivem na linha da pobreza ou da extrema pobreza. Para participar, a pessoa deverá ser atendida pelos equipamentos de Assistência Social do município há pelo menos seis meses, além de demonstrar interesse em regressar ao mercado de trabalho.

Ao final do curso, os participantes serão encaminhados aos processos seletivos para as vagas de emprego captadas pela SMTE e disponibilizadas para o Projeto Resgate. Eles terão acompanhamento durante seis meses das assistentes sociais da Prefeitura do Rio, após a contratação.

De acordo com o Censo de População em Situação de Rua 2020, o Rio de Janeiro tem 7.272 mil pessoas em situação de rua. Esse foi o primeiro censo com metodologia científica realizado na cidade e mostrou que, entre os principais motivos que levaram essas pessoas a dormirem nas ruas estava a demissão do trabalho/desemprego ou a perda da renda.

Contrariamente ao que se propaga no senso comum sobre a condição de parasitismo desse grupo social, o censo revelou que 62,8% – de um universo de 4.242 pessoas que responderam à questão – disseram realizar alguma atividade para obter renda, como catar materiais recicláveis ou lixo (47,5%) e vender produtos como camelô ou ambulante (26%).