Equipamentos culturais do Rio recebem novas sinalizações de prioridade a autistas

Publicado em 22/11/2019 - 10:54 | Atualizado em 23/11/2019 - 20:59

A Secretaria Municipal de Cultura começou a instalar nesta quinta-feira, placas com novas sinalizações de atendimento prioritário em espaços de sua competência. A iniciativa tem como objetivo a inclusão do laço, símbolo mundial do autismo. A primeira-dama Sylvia Jane Crivella participou da solenidade de apresentação simbólica das novas placas.

O secretário municipal de Cultura, Adolfo Konder, e a primeira-dama, Sylvia Jane Crivella, participaram do lançamento das novas sinalizações. Foto: Divulgação/ Secretaria Municipal de Cultura

A Cidade das Artes foi o primeiro dos equipamentos a receber a placa, em solenidade que contou ontem com a presença do secretário municipal de Cultura, Adolfo Konder. Para ele, a iniciativa demonstra que todas as pessoas são bem-vindas aos espaços culturais da cidade.

– Todos os equipamentos culturais da Secretaria terão atendimento preferencial para pessoas com Transtorno do Espectro Autista – garantiu Konder.

Para o secretário, é fundamental para o Governo Marcelo Crivella garantir o acesso e os direitos da população aos teatros, centros culturais, lonas e arenas.

– A Cultura é direito de todos e é nosso dever lutar sempre pela inclusão – completou.

A iniciativa diz respeito à Lei do Lacinho, que obriga a inclusão da sinalização referente ao acesso prioritário de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). O símbolo, uma fita de conscientização utilizada em outras causas, tem como estampa peças de quebra-cabeça, que representam a complexidade do autismo, a ideia da dificuldade de se compreender o TEA. A cura é a peça que falta. As diferentes cores são uma referência à diversidade de pessoas que convivem com o transtorno e, vibrantes, traduzem a esperança na eficácia dos tratamentos e na conscientização por parte da sociedade.

A fita costuma ser usada para identificar lugares onde pessoas com Transtorno do Espectro Autista são bem-vindas. A placa original instalada nos espaços culturais do Rio já fazia menção a quatro categorias de atendimento preferencial: idosos, pessoas acompanhadas por crianças de colo, gestantes e portadores de deficiência física. O laço, simbolizando as pessoas com transtorno de espectro autista, é o quinto ícone incorporado à nova sinalização.