Campanha pelo Dia Mundial e Nacional contra o trabalho infantil é lançada no Rio de Janeiro

Publicado em 12/06/2019 - 21:44 | Atualizado

No evento, foram divulgados dados do mapeamento do trabalho infantil na cidade, realizado pela SMASDH.

O Museu do Amanhã recebeu hoje o evento promovido pela Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), com apoio do FEPETI/RJ – Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção ao Trabalhador Adolescente do Rio de Janeiro, com foco na problematização do tema e a mobilização dos agentes públicos e sociedade civil.

A cerimônia de abertura contou com a presença de autoridades, a exemplo de Maria América Diniz Reis, representando o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção ao Trabalhador Adolescente – FEPETI/RJ, Acordo de Cooperação para Combate ao Trabalho Infantil no Estado do Rio de Janeiro, Comitê de Proteção à Criança e ao Adolescente nos Megaeventos do Rio de Janeiro e do Conselho Municipal dos Direitos das Criança e do Adolescente da Cidade do Rio de Janeiro – CMDCA, além de Fabiana Bentes, secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Estado do Rio e Presidente da Fundação para Infância e Adolescente – FiA.

Estavam presentes também o Secretário Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus, a secretária executiva do FNPETI, Isa Maria de Oliveira, Rafael Marques, representando a Procuradoria Geral do Trabalho, Maria Cláudia Falcão, da Organização Internacional do Trabalho – OIT, Renato Mello Soares, coordenador da secretaria especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e Patrick Pereira, representante do protagonismo juvenil da cidade do Rio de Janeiro.

Para o secretário da SMASDH, João Mendes de Jesus, o evento é de extrema importância, pois o tema precisa ser debatido para identificação e ação das políticas públicas na causa. Ele ainda parabenizou a iniciativa e agradeceu a organização, na pessoa de Deildo Jacinto, e da Edilene Gonçalves, assessor lês técnicos da SMASDH, e do Museu do Amanhã, por ter cedido o espaço para a realização do evento.

“Anualmente, a SMASDH disponibiliza equipes pra realizar o mapeamento na cidade, de crianças e adolescentes em condições de trabalho, na qual acompanho pessoalmente. Este evento é importantíssimo para nós da SMASDH e conta com apoio da rede de combate ao trabalho infantil” -enfatizou o secretário João Mendes.

O IBGE, representado pelo coordenador de trabalho e rendimento, Cimar Azeredo Pereira, apresentou a metodologia para identificação do trabalho infantil em âmbito nacional.

Em seguida, a equipe da Subsecretaria de Proteção Básica e Especial da SMASDH, através da Edilene Gonçalves e de João Grand Júnior, apresentou os dados do mapeamento realizado na cidade do Rio de Janeiro, que apontam os dez bairros com maior incidência, estando em primeiro lugar a Barra da Tijuca, seguido do Recreio dos Bandeirantes e Centro.

Para esta pesquisa, foram entrevistados 754 crianças e adolescentes, onde 73% são meninos e 60% adolescentes de 12 a 17 anos. Entre os entrevistados, a atividade mais exercidas por essas crianças e adolescentes é a de venda ambulante, sendo que 72% frequentam a escola e 74 % sabem ler e escrever.

Quando questionado sobre o motivo de estarem trabalhando, 48% responderam que seria para ajudar na economia familiar, 26% na aquisição de bens e serviços, 19% imposição de terceiros, 1% necessidade de acompanhar o responsável, que está trabalhando e 5% não souberam responder.

Quanto aos sonhos, a maioria gostaria de ser jogador de futebol, em segundo lugar a escolha seria carreira militar e em terceiro alguma profissão de nível superior. Este levantamento é realizado anualmente e este ano contou com a participação de 300 técnicos da Smasdh, que realizaram a pesquisa pelos bairros da cidade em quatro turnos: manhã, tarde, noite e madrugada.

A plataforma Mapeamento das Situações de Trabalho Infantil nas ruas da cidade do Rio de Janeiro 2019, elaborada pela Coordenadoria de Integração e Monitoramento CIM/SubIPC/SMASDH, será disponibilizada sexta-feira (14) nos sites da SMSADH e no DATA.RIO.

A plataforma disponibiliza os dados do levantamento através de infográficos e mapas, permitindo aos usuários realizarem filtros por recorte territorial e por variáveis.

Durante a tarde, o evento recebeu a Orquestra nas Escolas da Secretaria Municipal de Educação, oficinas do Projeto Pedra, Papel e Tesoura do Canal Futura, atividades lúdicas da Furnas, Secretaria Municipal de Saúde com o RAP da Saúde, apresentação do Unicirco Marcos Frota, Circulando, entre outros.