A ressignificação da vida por meio da Prefeitura

Publicado em 18/07/2019 - 18:38 | Atualizado em 22/07/2019 - 17:54

Márcio da Costa é formado nos cursos de garçom e barman, experiente, já trabalhou em restaurantes renomados da cidade do Rio de Janeiro, porém acabou por se envolver com o submundo das drogas e viu a vida ser tomada por diversos problemas.

Márcio, que era casado e é pai de cinco filhos, teve conflitos familiares, ficou desempregado e se deparou com as ruas, chegando a dormir ao relento e passar por toda a sorte de privações, que só quem se vê desabrigado chega a vivenciar.

Certo dia, conheceu o trabalho da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) e passou a ser atendido pelo Hotel Solidário Profeta Gentilza, localizado no bairro de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

“Encontrei esta ferramenta que me foi proporcionada pela Prefeitura do Rio. Eu estava em situação de rua há três anos e por conflito familiar e desemprego, me entreguei às drogas, mas, atualmente, com a ajuda da direção, psicólogos, assistentes sociais, educadores e demais funcionários da Hotel Solidário eu conheci situações que estão me fazendo melhorar” — conta Márcio.

Uma das oportunidades que lhe foi apresentada foi o Curso Acessuas, que preconiza acessibilidade para o mercado de trabalho, onde ele pôde aprender como se expressar de forma específica, além de situações do cotidiano.

“Hoje, já tenho documentação completa, sigo a agenda dos psicólogos e estou em oportunidade de receber a minha vaga de emprego, para sair daqui e oferecer o meu espaço no hotel para outra pessoa”.

Ele conta também, que conseguiu fazer seus óculos de grau e já está corrigindo a visão. “Uma necessidade que eu tinha há muito tempo e não conseguia. Estou usufruindo de tudo que a Prefeitura me proporciona. Algumas pessoas pensam que não existe ninguém que olhe por nós, mas existe a Prefeitura. Está sendo muito bom para mim. Aqui é um local excelente, quem não está aqui é porque não quer se dar oportunidade, mas eu quero. Aqui eu tenho de tudo o que preciso. Faço meus trabalhos de maneira informal e em breve terei minha casa, vou convidar os meus amigos para almoçarem comigo, assim todos irão ver que isso aqui funciona”- conclui Márcio em meio a risos.