Vigilância Sanitária capacita ambulantes que vão atuar no entorno do Sambódromo

Publicado em 03/02/2020 - 20:11 | Atualizado em 04/02/2020 - 09:34
Capacitação de ambulantes que vão trabalhar no entorno do Sambódromo no carnaval | Foto: Divulgação

Como mais uma ação prévia para o carnaval 2020, a Subsecretaria de Vigilância Sanitária do Rio realizou nesta terça-feira, 3, a capacitação em higiene na manipulação de alimentos da primeira turma de ambulantes que vão atuar no entorno do Sambódromo nos dias de folia. Cerca de 30 profissionais participaram do curso realizado e ainda tiveram a licença sanitária emitida ao fim da aula de três horas que aconteceu no auditório da nova sede da Superintendência de Educação do órgão, no Humaitá.

 

– Práticas referentes a cuidados com a conservação dos alimentos, o descarte correto de resíduos, a não utilização de adornos como, brincos, anéis e mesmo unhas e cílios postiços são fundamentais para a redução do risco de contaminação – ressaltou a médica-veterinária Jane Azevedo, da equipe da Superintendência de Educação.

 

O vendedor João Luiz de Souza, que comercializa caldo de cana e pastel há mais de cinco anos no entorno do Sambódromo, participou pela primeira vez da capacitação da Vigilância.

 

– Aprendi bastante, inclusive, sobre a lavagem correta das mãos e do armazenamento adequado dos alimentos. Também não sabia que era preciso controlar a temperatura de alimentos quentes e frios – destacou.

 

Já a ambulante Erika Alves, de 34 anos, que vende bebidas, batata frita, churrasquinho na chapa e agora caldos, recebeu a capacitação pela segunda vez.

 

– Fiz o curso no ano passado, e mesmo assim aprendi coisas novas, como dicas sobre a conservação dos alimentos para evitar que o público se contamine ao consumir algum produto que não estava adequadamente armazenado – disse Erika.

 

Após a qualificação, todos os participantes recebem certificados e a carteira oficial de manipulador de alimentos da Vigilância.

 

Capacitação de ambulantes que vão trabalhar no entorno do Sambódromo no carnaval | Foto: Divulgação

Ações educativas – Em 2019, a Vigilância Sanitária capacitou quase 20 mil profissionais, cerca de mil deles para o Carnaval 2020, incluindo massagistas, tatuadores, maquiadores e outros trabalhadores. Essas e outras ações educativas do órgão no ano passado resultaram em reduções expressivas no carnaval, como 176% no descarte de alimentos (de 138 quilos em 2018 para 50 em 2019) e 23% nas infrações (de 73 para 59). Mas o maior ganho foi na redução dos riscos de alimentos consumidos. Em 2018, das 84 amostras coletadas para análise, 28 (35%) deram resultados insatisfatórios. Em 2019, das 61 amostras coletadas, apenas três (5%) foram insatisfatórias, uma diminuição de 30% em relação a 2018.