Defesa Civil aciona sirenes em 7 comunidades. Cidade está em estágio de atenção, e Prefeitura age para reduzir impacto da chuva

Publicado em 11/11/2019 - 14:02 | Atualizado em 11/11/2019 - 18:00

A forte chuva que atingiu o Rio de Janeiro no fim da manhã desta segunda-feira, 11 de novembro, fez a cidade entrar em estágio de atenção às 11h50. A Prefeitura está com equipes em ação nos pontos mais críticos para minimizar o impacto sobre a população. A Defesa Civil acionou 16 sirenes em sete comunidades: Rocinha, Santa Marta, Cabritos e Guararapes, na Zona Sul; Formiga, na Tijuca, Zona Norte; e Santa Alexandrina e Paula Ramos, no Centro. O Centro de Operações Rio (COR) informa que o estágio de atenção permanece.

PREVISÃO DO TEMPO: Confira aqui o serviço do COR

O Alerta Rio informa que ainda há previsão de chuva fraca a moderada durante esta segunda-feira. Essa chuva pode ser forte em pontos isolados até a noite, com ventos moderados a fortes (entre 18,5 km/h e 76 km/h). Para a madrugada, manhã e tarde desta terça-feira a previsão é de chuva fraca a moderada, diminuindo para apenas chuva fraca, isolada, ao longo do dia. Os ventos devem estar moderados (entre 18,5 km/h e 51,9 km/h).

Ações ao longo do dia

A Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação está atuando nos pontos de alagamento da cidade. Os principais são na Muzema (Av. Engenheiro Souza Filho e ruas adjacentes), na Lagoa (Av. Epitácio Pessoa, Vinícius de Moraes e vias do entorno) e na Avenida Ayrton Senna (Mergulhão da Barra). As equipes estão usando caminhão do tipo conjugado vac-all.

Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação
Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação

A Comlurb também está com suas equipes operacionais nas ruas para agilizar o escoamento nos locais onde a situação ficou mais complicada. Foi acionado o plano especial para atuar em situações de emergência. O Protocolo de Resposta e Pronto Emprego prevê o uso de recursos das diferentes diretorias e superintendências da Companhia. Assim, é possível mobilizar o efetivo, materiais, veículos e equipamentos necessários ao atendimento, de forma ágil, adequada e eficiente, até o restabelecimento das condições de normalidade (saiba mais sobre a atuação da Comlurb).

Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação
Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação
Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação
Comlurb em ação para reduzir impactos da chuva forte desta segunda, 11 de novembro. Foto: divulgação

Todas as equipes operacionais da CET-Rio atuam nas vias. Até o momento os principais impactos no trânsito foram observados na região do Centro e Zona Sul, principalmente Jardim Botânico, Lagoa e Catete.

A Guarda Municipal do Rio trabalha com 1.167 agentes, em ações de rotina de patrulhamento, ordenamento urbano e de controle de trânsito. Todo o efetivo está de prontidão para auxiliar no trabalho de minimizar impactos da chuva. As equipes atuam em diversos  pontos  críticos onde ocorreram  alagamentos, bolsões d’água e quedas de árvores, orientando motoristas e pedestres.

Volumes de chuva

Maiores acumulados em 15 minutos:

Tijuca/Muda 11:45:00 – 15,8mm
Campo Grande 11:45:00 – 15,6mm
Bangu 12:00:00 – 15,4mm

Maiores acumulados em uma hora:

Jardim Botânico 12:15:00 – 34,6mm
Laranjeiras – 12:15:00 – 32,2mm
Urca – 12:30:00 – 31,8mm

Maiores acumulados desde que começou a chover (de 0h a 14h):

Rocinha 66,8mm
Alto da Boa Vista 54,6mm
Jardim Botânico 54,2mm

Sirenes

As sirenes foram acionadas entre 11h57 e 12h20. Ao todo são 103 comunidades de alto risco geológico monitoradas pelo sistema de alertas sonoros da cidade. Desde 10h, o serviço 199 (canal de atendimento da Defesa Civil municipal) recebeu 16 chamados – a maioria das ocorrências relacionada a dano de estrutura de imóvel e deslizamento de encostas. Não houve registro de vítimas.

O acionamento das sirenes pela Defesa Civil municipal ocorre após monitoramento e avaliação dos índices críticos de chuva por meteorologistas do Sistema Alerta Rio. Eles ficam lotados no Centro de Operações Rio (COR), onde profissionais da Defesa Civil atuam, de forma integrada, 24 horas por dia. O sistema conta ainda com a participação de líderes e voluntários da comunidade, além de pontos de apoio previamente definidos, caso haja a necessidade de evacuar provisoriamente moradores. O Sistema de Alerta e Alarme Comunitário para Chuvas Fortes da Prefeitura do Rio conta com 83 pluviômetros da Defesa Civil, 165 sirenes e 194 pontos de apoio em 103 comunidades com alto risco de deslizamentos, conforme definição da Geo-Rio.

Ventos

Forte

Às 13h – Marambaia (61,9 km/h);
Às 13h – Copacabana (52,2 km/h);
Às 12h – Forte de Copacabana (61,9 km/h);
Às 11h – Marambaia (56,9 km/h);
Às 11h – Base Aérea de Santa Cruz (61,1 km/h);

Moderado

Às 12h – Marambaia (47,5 km/h);
Às 11h – Guaratiba (43,0 km/h);
Às 11h – Base Aérea de Santa Cruz (50,0 km/h).

(Fonte: Inmet e Redemet)

Informações via SMS

Qualquer pessoa pode receber mensagens da Defesa Civil por meio de adesão voluntária para ser alertado, em tempo real, sobre a ocorrência de chuvas fortes no local onde mora. O cadastro é simples, rápido e gratuito: o cidadão deve enviar o CEP da residência para o número 40199.

Acompanhe pelo COR:

Publicado por Centro de Operações Rio em Segunda-feira, 11 de novembro de 2019

(Última atualização desta reportagem às 18h02)