Operação Carnaval: Vigilância contabiliza 254 inspeções no Sambódromo e vistorias em 99 blocos

Publicado em 25/02/2020 - 17:55 | Atualizado em 26/02/2020 - 00:11
Equipe da Vigilância no quarto dia de inspeção no Sambódromo. Foto: Divulgação

Em quatro dias de atuação no Sambódromo, a Operação Carnaval da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio realizou 254 inspeções em serviços de alimentos (como lanchonetes e cozinhas de camarotes), beleza (como cabeleireiros e tatuadores) e saúde (ambulâncias e postos médicos), entre outros pontos, com 56 infrações aplicadas, a maioria, por falta de licença sanitária. Além da Sapucaí, técnicos concluíram nesta segunda-feira, 24, a fiscalização em blocos de diversos bairros da cidade, com um total de 99 vistorias que resultaram em 71 infrações, mais de 80% também por ausência de licença. A Vigilância segue nesta terça-feira, 25, com a operação na Passarela do Samba inspecionando serviços de alimentos, saúde e beleza, e também áreas comuns, sistemas de abastecimento de água e de climatização, gerenciamento de resíduos e equipamentos essenciais às condições higiênico-sanitárias, como pias, lixeiras com tampa e pedal e dispensadores de sabão líquido e de toalha de papel.

 

No Setor 7 a Vigilância mantém um estande onde técnicos da Superintendência de Educação já realizaram mais de três mil ações educativas em interação direta com o público, distribuindo folhetos com dicas básicas que ajudam a prevenir riscos e orientando o uso do Totem com os principais serviços digitais da Prefeitura do Rio, como o Taxi.Rio e o Sisbicho, de microchipagem e cadastro no Registro Geral de Animais. Também  no estande da Vigilância, uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde vacinou nos últimos três dias – sábado, domingo e segunda – 568 pessoas contra o sarampo, entre trabalhadores e foliões que poderão contar com o serviço das 17h às 23h do próximo sábado, 1º de março, dia do Desfile das Campeãs.

 

– Muito bom termos esses serviços aqui no Sambódromo. Foi ótimo poder me vacinar com rapidez e ainda neste clima de folia – brincou o contador e portelense Hélio Ricardo, 59 anos.

 

Atuação em blocos – A ação nos blocos inclui os fins de semana dos dias 8, 9, 15 e 16 de fevereiro e as ações feitas desde sexta, 21, primeiro dia de carnaval. Nos oito dias, as equipes inspecionaram 99 blocos conferindo a estrutura de saúde (ambulâncias e postos médicos) e transportes usados para a venda de bebidas. Das 71 infrações aplicadas, 57 foram por falta de licença sanitária para veículos como ambulâncias e eventos em geral. As demais foram por equipe de saúde incompleta, ausência de posto médico e uma por medicamento vencido.

 

Ações de domingo e segunda – No domingo, 23, a ação dos fiscais começou pelo Terreirão do Samba e continuou na Passarela do Samba, com 77 inspeções que resultaram em 11 multas, mais de 80% delas (nove) por ausência de licença sanitária. O mesmo aconteceu nesta segunda, 24, quanto os técnicos fizeram mais 58 vistorias e aplicaram 13 infrações, dez por falta da licença. As demais irregularidades foram por falta de procedência nas embalagens de produtos e conservação de alimentos em temperatura inadequada.

 

– O número de irregularidades no Sambódromo diminuiu sensivelmente em relação aos últimos anos. Este é o resultado da intensificação das ações educativas e das prévias que iniciamos 40 dias antes do carnaval. Inspecionamos mais de 1.400 pontos e realizamos centenas de ações orientativas diretamente nos estabelecimentos e em reuniões de alinhamento com fornecedores e organizadores de eventos. Ainda capacitamos mais de 1.300 profissionais para atuar nos principais pontos de folia e reforçamos a importância da licença, documento que comprova que o estabelecimento foi licenciado por nós e deve ser exigido pelo consumidor. E esta ano ampliamos as nossas ações os blocos; Com essas estratégias conseguimos avançar em muito na prevenção de riscos à saúde da população – diz Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária do Rio.

 

Inspeção da Vigilância em um dos camarotes do Sambódromo. Foto: Divulgação

A Operação Carnaval reúne no Sambódromo técnicos das coordenações de Fiscalização Sanitária, de Alimentos, de Engenharia e de Saúde; do Núcleo de Inspeção e Fiscalização dos Ambientes de Trabalho (Nifat) e do Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp), que em quatro dias coletaram 62 amostras de alimentos para análise. São 73 fiscais distribuídos em equipes atuando até esta terça, 25, e depois sábado, 1º de março, dia do desfile das Campeãs. Eles conferem serviços e pontos de venda de alimentação e bebidas (inclusive no interior de camarotes); a atuação de ambulantes cadastrados; veículos de transporte de alimentos, bebidas e gelo; postos médicos e ambulâncias; serviços de interesse à saúde (como manicures, cabeleireiros, maquiadores, massagistas e tatuadores); e ambientes coletivos (áreas de uso comum, sanitários, locais de descarte de resíduos e  água de abastecimento). No Terreirão, eles fiscalizam 50 pontos de vendas, vistoriando no entorno na Sapucaí e Presidente Vargas as condições higiênico-sanitárias de 100 ambulantes cadastrados na área.

 

Principais orientações

Entre as muitas orientações sobre ações básicas que podem prevenir riscos, a Vigilância Sanitária alerta que o consumidor deve observar as condições de higiene dos locais de venda de alimentos e o prazo de validade dos produtos, e sempre exigir que bebidas à base de frutas e gelo sejam preparadas na hora.

 

– Uma dica importante é comprar apenas em comércios com o ok da Vigilância, o que pode ser conferido por meio da licença sanitária que desde o ano passado, como prevê a lei, tem que estar exposta na parede. E mais: qualquer irregularidade ou mesmo suspeita deve ser denunciada à Central 1746 para que uma de nossas equipes providencie a inspeção – orienta Márcia Rolim.

 

Dez dicas para aproveitar a folia com menos riscos à saúde

1- Lave bem as mãos antes de consumir alimentos e após utilizar os banheiros.

2- Observe sempre as condições de higiene dos locais de venda de alimentos.

3- Compre comidas, bebidas e qualquer outro tipo de alimentos apenas em comércios licenciados pela Vigilância Sanitária.

4- Verifique o prazo de validade dos produtos antes de consumir.

5- Confira o rótulo dos produtos industrializados, pois ali estão informações essenciais à saúde.

6- Não consuma alimentos com textura, cor, odor ou sabor alterados.

7- Fique atento ao comprar bebidas à base de frutas. Elas devem ser preparadas na hora do consumo.

8- Cuidado com enjoo, vômito e diarreia. Eles podem ser sintomas de intoxicação e de outras Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA), que precisam de atendimento médico imediato.

9- Lembre-se de consumir bastante líquido para se manter hidratado.

10- Caso identifique no comércio alguma irregularidade, como a falta de higiene que ameaça a saúde, denuncie à Central 1746.

Equipe da Vigilância Sanitária durante ação educativa no Sambódromo. Foto: Divulgação