Mão na massa: fábrica fornece pão feito especialmente para os alunos da rede municipal de ensino

Publicado em 27/02/2020 - 12:44 | Atualizado em 28/02/2020 - 09:59
Alunos da Escola Municipal Júlio Verne visitaram a fábrica e puseram a mão na massa - Foto: Renee Rocha/Prefeitura

São fornadas de pão saindo a todo instante, 24 horas por dia, de segunda-feira a domingo, com aquele cheirinho bom inconfundível. Todo esse ritmo incessante tem um motivo: servir os cerca de 650 mil alunos nas 1.540 escolas municipais espalhadas pela cidade. Por semana, são produzidos mais de 800 mil pães numa fábrica no Pechincha, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, para garantir o café da manhã e o lanche diários dos estudantes da rede de ensino da Prefeitura.

É um trabalho exclusivo, com a dedicação de 100 padeiros, auxiliares e nutricionistas. Eles são unânimes em dizer que tudo é feito com muito cuidado, sabor, amor e carinho.

O padeiro Edivânio faz parte da equipe, que conta com auxiliares e nutricionistas – Foto: Renee Rocha/Prefeitura

– Faço como se fosse para os meus filhos. É gratificante produzir o alimento deles. Não tem preço – afirmou o padeiro Edivânio Matias, contendo as lágrimas.

Onze alunos da Escola Municipal Júlio Verne, na Taquara, visitaram a fábrica pela primeira vez, puseram a mão na massa e comeram os pães fresquinhos. O sorriso constante, de orelha a orelha, era o indicativo de sucesso do passeio.

– Está sendo muito legal e divertido – atestou Ricardo Teixeira, de 11 anos, entre uma mastigada e outra num pão careca bem macio.

Para a responsável pela 7ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Márcia Arruda Bastos, os alunos viveram uma experiência incrível e jamais vão esquecer esse dia.

­– As crianças vão para a escola estudar e desenvolver diversas atividades. Elas precisam de energia. Oferecemos, então, uma alimentação de qualidade.

Em 2019, a fábrica forneceu 767 toneladas de pão (francês, careca de 30g e 50g, além de broa de milho) e 401 mil unidades de pão de forma para os colégios municipais.

– Quando envolve criança, toca o coração de uma mãe. Tenho uma filha, Alice, de 2 anos, e trato o lanche deles como se fosse para ela. Tudo feito com muito zelo. A gente toma um cuidado enorme com controle e vigilância sanitária. Se não for para fazer o melhor, não adianta levantar e vir trabalhar – afirmou a nutricionista Flávia Costa.

Os alunos agradecem.

As crianças puderam acompanhar todo o processo de fabricação dos pães – Foto: Renee Rocha/Prefeitura