Vigilância Sanitária multa restaurante na Ilha do Governador por uso de óleo saturado

Publicado em 26/12/2019 - 18:33 | Atualizado em 26/12/2019 - 19:47

Durante inspeção em um restaurante da Ilha do Governador para verificar a denúncia de um consumidor, que encontrou camarão numa porção de batatas fritas, técnicos da Vigilância Sanitária do Rio flagraram o uso de óleo vegetal com sinais de saturação: alteração de cor, odor e espuma na superfície. No local, a equipe constatou também condições higiênico-sanitárias insatisfatórias, como entulhos no depósito de descartáveis, lixeira sem pedal e tábuas de corte danificadas.

 

Além de descartarem o óleo, os fiscais infracionaram o estabelecimento, que fica na Rua Gregório de Castro Moraes, 1.130, no Jardim Guanabara, e emitiram um termo de intimação com diversas adequações a serem cumpridas em prazos que variam de dez a 60 dias.

 

A Vigilância segue com as fiscalizações em toda a cidade e reforça a importância da participação da população, como orienta a médica-veterinária Aline Borges, coordenadora de Alimentos do órgão.

 

  • Se o consumidor identificar alguma possível irregularidade, ele deve fazer um registro na Central 1746. Neste caso do restaurante da Ilha, a reclamação envolvia dois grandes riscos à saúde. Um deles é o óleo saturado, que pode provocar até câncer. O outro é a contaminação cruzada. É que o camarão tem diversas substâncias alergênicas que podem levar à morte. Imagina uma pessoa alérgica comer uma batata que foi frita no mesmo óleo do camarão? Por isso, o consumidor deve estar sempre atento e denunciar – alerta Aline Borges.