Vigilância Sanitária faz inspeções prévias em pontos de eventos do réveillon carioca

Publicado em 31/12/2019 - 15:13 | Atualizado em 02/01/2020 - 15:36

Técnicos da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses do Rio concluíram nesta terça-feira, 31, todo o roteiro de inspeções prévias do réveillon na orla das zonas Sul e Oeste. Restaurantes, hotéis, piscinas, academias, salões de beleza, estúdios de piercing e quiosques começaram a ser vistoriados em 9 de novembro como forma de prevenir riscos à saúde pública, sendo que nos últimos quatro dias as equipes atuaram em pontos de eventos no Flamengo, Piscinão de Ramos, Sepetiba, Guaratiba e Copacabana. Ao todo, foram realizadas 38 inspeções e aplicadas 12 infrações, mas sem gravidade. A maioria foi por armazenamento inadequado de produtos e falta de licenciamento sanitário, que este ano, com a implantação do primeiro Código Sanitário do Município, passou a ser exigido de todas as atividades econômicas exercidas na cidade.

 

Nos pontos de eventos, as equipes conferiram instalações e condições higiênico-sanitárias dos caterings artísticos e a estrutura de saúde, com o reforço de orientações para as adequações de última hora. Somente em Copacabana, foram inspecionados quatro postos médicos e ainda 48 ambulâncias distribuídas por diversos pontos do bairro. “Conferimos desde a montagem, no dia 27, até a véspera, com nossos técnicos apenas orientando sobre pequenos ajustes. Sem dúvida, este é o resultado dos muitos cursos de capacitação e outras atividades educativas que ampliamos a cada ano”, explicou Virgílio Adonai, coordenador de Saúde da Vigilância Sanitária.

O roteiro – Desde 9 de novembro, quando a Vigilância iniciou o roteiro de fiscalizações especiais na orla, foram 827 inspeções que resultaram em 343 termos de intimação com adequações a serem cumpridas, 327 infrações por irregularidades (como falta de higiene e o armazenamento inadequado de produtos) e 24 interdições, sendo que os estabelecimentos já providenciaram as exigências e voltaram a funcionar.

 

— Nosso objetivo maior é conscientizar sobre os cuidados de higiene e outros protocolos essenciais para a prevenção de riscos. E conferimos tudo, como o uso correto de uniformes, a existência da licença sanitária e até o comprovante da capacitação em cursos que oferecemos, como o de manipulador de alimentos. Atuamos desde novembro de sexta à segunda-feira na Operação Verão coordenada pela Seop (Secretaria Municipal de Ordem Pública), e começamos em 10 de dezembro a nossa operação Vigilância no Verão, com 30 técnicos atuando exclusivamente na orla de terça à quinta-feira. E vamos seguir com essas ações de segurança, pois elas fazem parte não só do réveillon como do dia a dia do verão carioca — disse o médico-veterinário Pedro Paulo Ferraz, coordenador de Fiscalização Sanitária da Vigilância.

 

  • 31 de dezembro de 2019