Vigilância Sanitária inicia capacitação dos 29 novos médicos-veterinários para implantar inspeção agropecuária

Publicado em 11/03/2020 - 18:41 | Atualizado em 11/03/2020 - 19:05
Capacitação dos novos médicos-veterinários que vão atuar no SIM-RIO/POA. Foto: Divulgação

Os 29 médicos-veterinários do total dos 58 servidores concursados pela Secretaria Municipal de Saúde para atuar na Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses tiveram nesta quarta-feira, dia 11, o primeiro dia da capacitação que segue até 18 de maio. Nesses dois meses, eles receberão aulas de conhecimentos gerais e questões específicas como a estrutura da Prefeitura, direitos administrativos, direitos e deveres do servidor e regulamentação, além de qualificação com foco na inspeção agropecuária. A atividade é mais uma etapa do Serviço Municipal de Inspeção (SIM), programa inédito lançado em agosto do ano passado pela Prefeitura do Rio para auxiliar a agroindústria familiar e pequenos produtores de queijos, hambúrgueres, linguiças e cervejas artesanais, entre outros empreendedores. Muitas vezes impedidos de se regularizar por falta de licença sanitária, eles poderão em breve se formalizar no próprio município, alavancando o crescimento de muitos negócios na cidade.

 

Um dos avanços trazidos pelo Código Sanitário do Município do Rio (aprovado por unanimidade na Câmara dos Vereadores em dezembro de 2018 e implantado em 2019), a inspeção agropecuária foi instituída pelo SIM com a criação do Registro de Estabelecimento de Produção Agropecuária (Repa). E para as ações de fiscalização dos produtos de origem animal (POA) e vegetal, a Vigilância Sanitária precisou implantar o Núcleo de Agricultura Pecuária e Abastecimento (Nagro), onde serão lotados todos os 29 médicos-veterinários. A capacitação desses novos servidores é de 150 horas, em atividades realizadas na sede da Superintendência de Educação do órgão, no Humaitá.

 

– Estamos muito felizes com a oportunidade de passar esses conhecimentos aos novos concursados. Nosso objetivo é não só capacitá-los para o novo serviço de inspeção, mas para que percebam a importância de prestarem um serviço melhor para a população carioca – afirmou Flávio Graça, superintendente de Educação da Vigilância Sanitária.

 

Ao fim do primeiro dia da capacitação iniciada nesta quarta, o médico-veterinário e professor universitário Claudius Couto Cabral falou da expectativa em relação aos novos serviços.

 

– A expectativa é muito alta. Deu para perceber que receberemos muito informação, e isso será fundamental para desempenharmos o nosso trabalho. Estamos sendo capacitados para exercer as novas funções dando o nosso melhor, colaborando não só na implementação da inspeção agropecuária, mas também no aperfeiçoamento de alguns dos muitos programas diferenciados já existem na Vigilância – avaliou Claudius Cabral.

 

Entre os novos 29 médicos-veterinários está Rafaela Carvalho, 37 anos. Formada pela Universidade Federal Fluminense (UFF) com mestrado em microbiologia e aluna da segunda turma do único programa de residência em medicina veterinária do país com foco em vigilância sanitária implantado há dois anos pela Prefeitura, ela falou dos avanços da Vigilância.

 

– Em um ano como residente pude acompanhar a evolução da Vigilância. Passar neste concurso foi uma coisa maravilhosa, pois é onde eu quero estar – disse Rafaela acompanhada no evento do marido e do país.

 

Ampliação em zoonoses, no atendimento a animais e nas ações laboratoriais

Os outros 29 concursados são profissionais do Ensino Médio: dez técnicos de laboratório em análises clínicas, sete auxiliares de laboratório, cinco auxiliares de serviço veterinário, três técnicos de radiologia, dois oficiais de farmácia e dois agentes de documentação médica. Eles vão reforçar as ações de zoonoses, o atendimento aos animais e os exames laboratoriais. Para tanto, estão sendo distribuídos nas duas unidades de zoonoses (o Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho, em Santa Cruz, no Complexo Zona Oeste, e o Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, em São Cristóvão, no Complexo Zona Norte), e no Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp), que também integra o Complexo Zona Norte da Vigilância.

 

– Com a chegada desses novos servidores vamos ampliar as ações de zoonoses que fazemos em toda a cidade, e também o atendimento aos animais em nossas unidades. Um exemplo é o r-X que vamos implantar no CCZ, no Complexo Zona Oeste, beneficiando diretamente a milhares de usuários que lá atendemos. Oferecemos este serviço no Instituto Jorge Vaitsman, no nosso Complexo Zona Norte, mas fica longe para quem mora em bairros da Zona Oeste. Esta novidade só será possível graças à contratação dos três técnicos de radiologia – explica a subsecretária de Vigilância Sanitária do Rio, Márcia Rolim.

 

Outra área contemplada com os novos servidores é a de exames e demais procedimentos feitos pelo Lasp.

 

– Com os novos profissionais de laboratório vamos implantar uma unidade do Lasp no Complexo Zona Sul, em Botafogo. Esta é outra novidade que vai impactar na ampliação de exames de zoonoses, análises de alimentos e outros serviços para a população e para os empresários – adianta a subsecretária.