Vigilância Sanitária detalha atuação em palestra para moradores de Copacabana

Publicado em 31/01/2020 - 19:28 | Atualizado em 31/01/2020 - 19:36
O superintendente de Educação e Pesquisa da Vigilância Sanitária durante palestra para moradores de Copacabana | Foto: Divulgação

A convite da Sociedade Amigos de Copacabana (SAC), o superintendente de Educação e Pesquisa da Vigilância Sanitária do Rio, Flávio Graça, ministrou palestra sobre a atuação do órgão, que tem como missão a prevenção de riscos à saúde pública. No encontro realizado nesta quinta-feira, 30, no auditório do Hospital São Lucas, moradores do bairro da Zona Sul esclareceram uma série de dúvidas relativas a questões higiênico-sanitárias, entre elas, a qualidade da água consumida no município.

 

Durante a palestra, Flávio Graça apresentou um balanço das ações da Vigilância nos últimos três anos, detalhando como funciona o monitoramento da água de abastecimento fornecida pela CEDAE. O trabalho é feito por técnicos do Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp), que coletam amostras de água em toda a cidade para análises físico-químicas (cloro, pH, flúor e turbidez) e microbiológicas (coliformes totais e Escherichia coli. O monitoramento faz parte do Vigiagua, programa do Ministério da Saúde voltado à qualidade da água consumida nos municípios.

 

– É muito importante termos espaços como este para falarmos do nosso trabalho. Aqui conseguimos explicar detalhadamente o papel da Vigilância e esclarecer tantas dúvidas comuns à população. E estamos à disposição de outras associações que também queiram debater essas questões – ressaltou o superintendente.

 

No encontro, o presidente da associação de moradores do bairro, Horácio Magalhães, destacou a importância da palestra.

 

– Estamos muito apreensivos e inseguros em relação à água que consumimos, e foi muito bom recebermos toda esta orientação da Vigilância – destacou Horário Magalhães, elogiando o encontro com a Vigilância.

  • 31 de janeiro de 2020