Prefeitura multa 25 agências da Caixa por descumprimento de barreiras sanitárias para evitar aglomerações

Publicado em 05/05/2020 - 19:37 | Atualizado em 05/05/2020 - 20:20
A Prefeitura iniciará um lockdown parcial pela Zona Oeste, a região onde há os maiores registros de aglomeração. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses, inspecionou nesta terça-feira (05/05) agências da Caixa Econômica Federal para conferir as barreiras sanitárias que devem ser adotadas para reduzir os riscos de transmissão do novo coronavírus (Covid-19). Na ação, os técnicos verificaram as condições higiênico-sanitárias em banheiros e outros espaços de 41 unidades bancárias, com um total de 34 infrações aplicadas: duas por falta de higiene, duas por ausência de licença sanitária, cinco por ausência de álcool 70% em gel e 25 por aglomeração.

– A missão da Vigilância é atuar na prevenção, conferindo se as barreiras sanitárias estão sendo cumpridas para a redução dos riscos aos que buscam serviços. Exatamente como prevê a lei, e minimizando os riscos à saúde de todos – destaca a médica-veterinária Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária do Rio.

Além de conferir se as agências estão adotando as medidas necessárias para manterem o distanciamento mínimo de um metro e meio entre as pessoas, inclusive nas filas, os fiscais vistoriam as condições dos banheiros onde deve haver papel higiênico, sabão líquido, papel-toalha, lixeira com tampa sem acionamento manual e álcool 70% em gel, que desde o dia 27 de abril passou a ser obrigatório também na área de autoatendimento dos caixas eletrônicos.

– O objetivo dessa inspeção nas agências da Caixa é assegurar que as medidas de prevenção contra a Covid-19 sejam respeitadas, como o afastamento físico de um metro e meio, inclusive nas áreas externas, proporcionando mais segurança ao público e minimizando a contaminação. A responsabilidade das agências deve se estender até a última pessoa da fila – ressalta a médica-veterinária Mônica Valim, coordenadora do Núcleo de Fiscalização em Ambientes de Trabalho (Nifat) da Vigilância Sanitária.

As inspeções desta quinta-feira nas agências da Caixa foram feitas por técnicos das coordenações de Fiscalização Sanitária, de Alimentos e de Engenharia, e ainda do Núcleo de Integração de Fiscalização em Ambientes de Trabalho (Nifat). Ao todo, foram 21 fiscais divididos em nove equipes atuando no Centro, em sete bairros da Zona Oeste (Barra, Freguesia, Taquara, Recreio, Campo Grande, Bangu e Realengo) e em  dez da Zona Norte (Tijuca, Vila Isabel, Madureira, Cascadura, Bento Ribeiro, Rocha Miranda, Irajá, Brás de Pina, Vila da Penha e Méier).

Nas ações, as equipes reforçam também as orientações de adequação a normas sanitárias e outros cuidados que fazem parte da rotina das fiscalizações da Vigilância e intensificadas desde 19 de março, início da Operação Covid-19. Desde então, já são cinco frentes distintas de vistorias voltadas à prevenção e ao combate de irregularidades referentes ao novo coronavírus. Nessas seis semanas, foram realizadas 1.436 inspeções com 404 infrações aplicadas, a maioria, por falta de higiene e alterações no álcool 70% em gel.