Dia do Veterinário: A história de quem realizou o sonho de cuidar dos animais

Publicado em 09/09/2022 - 19:52 | Atualizado
Glauco Mello é veterinário - Edu Kapps / Prefeitura do Rio

“Eu vou trabalhar aqui um dia”. Foi o que pensou o então adolescente Glauco Mello, quando tinha apenas 15 anos, ao levar seu vira-lata Black ao Centro de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (CJV), na Mangueira, para um tratamento de saúde. De lá para cá, o adolescente cresceu, ingressou na faculdade de medicina veterinária e começou a, de fato, atuar no CJV. Nesta sexta-feira (09/09), além do Dia do Veterinário, Glauco comemora 31 anos de carreira no atendimento aos pets cariocas, e lembra o sonho de menino que se realizou.

 

– Desde criança, sempre que alguém me perguntava o que eu queria ser quando crescesse, respondia: médico de bicho. Quando visitei o CJV, ainda jovem, tive mais certeza ainda, e o destino quis que meu sonho se tornasse realidade justamente aqui. Eu não saberia o que fazer se não trabalhasse no CJV, conheço cada canto daqui, sempre foi meu projeto de vida – conta, emocionado.

 

Quando diz que conhece o instituto como ninguém, Glauco não exagera. Ao longo de três décadas, entrou para a equipe como acadêmico bolsista, em 1991, depois foi estagiário e, ao se formar, prestou concurso e se tornou servidor público. Ele, que já foi diretor do CJV por quatro anos, hoje ocupa o cargo de gerente de Investigação de Zoonoses, coordenando os setores de clínica médica, cirúrgica e imagem:

 

– É viver um sonho, o que sempre me programei para atuar como profissional. Amo estar com os animais e é gratificante ver quantos deles conseguimos ajudar, salvar, garantir que estejam saudáveis. E fazer esse atendimento no sistema público, gratuito, de fácil acesso à população, amplia ainda mais a capacidade da assistência. É a minha vocação.

 

Centro Jorge Vaitsman – Nelson Duarte / Prefeitura do Rio

 

Centro de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (CJV)

Ligado ao Instituto Municipal de Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro (Ivisa-Rio), o CJV, localizado na Mangueira, oferece serviços e tratamentos veterinários gratuitos, como vacinação, diagnóstico, castração, educação, além da observação de animais suspeitos/agressores.

Em 2021, o CJV realizou 22,5 mil atendimentos, entre atendimentos clínicos, de esporotricose, castrações e outras cirurgias eletivas. Até agosto deste ano, esse número já chega a 20,5 mil atendimentos. O CJV funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Confira os principais serviços:

Castração de cães e gatos
Adoção de animais
Microchipagem
Vacinação antirrábica
Sepultamento e cremação
Atendimento clínico
Exames laboratoriais e de imagem
Anatomia patológica
Diagnóstico de zoonoses (raiva, leishmaniose, leptospirose, esporotricose, toxoplasmose, entre outras)

Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ)

Além do CJV, o Ivisa-Rio conta com mais uma unidade voltada aos cuidados veterinários: o Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ), localizado em Santa Cruz, que também funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Em 2021, o CCZ realizou 14,5 mil atendimentos, entre atendimentos clínicos, de esporotricose, castrações e outras cirurgias eletivas. Até agosto deste ano, os atendimentos já superam a marca anterior, chegando a 15,5 mil.

Veja os principais serviços ofertados pelo CCZ:

Castração de cães e gatos
Adoção de animais
Microchipagem
Vacinação antirrábica
Atendimento clínico de cães e gatos com esporotricose
Exames de imagem (ultrassonografia, ecocardiografia e raios-x)
Coleta de sangue para exames pré-operatórios
Coletas de material para o diagnóstico de zoonoses, como esporotricose e leishmaniose
Remoção emergencial de cavalos, bois, porcos e cabras em vias públicas
Remoção de morcegos caídos para diagnóstico de raiva

  • 9 de setembro de 2022
  • Pular para o conteúdo