Com foco na saúde dos foliões, Vigilância Sanitária dá dicas de prevenção de riscos durante o carnaval

Publicado em 20/02/2020 - 15:05 | Atualizado em 20/02/2020 - 15:45

Blocos de ruas e desfiles de escolas de samba. O carnaval é um período de muita diversão, mas pode virar dor de cabeça, ou melhor: dor de barriga para quem não tiver atenção à procedência dos alimentos e à hidratação. Por isso, antes de colocar a fantasia para cair na folia, confira algumas dicas da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio que, de olho na prevenção de riscos à saúde pública, há mais de 40 dias percorre a cidade inspecionando pontos comerciais e levando muita orientação à população. A médica-veterinária Aline Borges, coordenadora de Alimentos do órgão, alerta em especial para as condições higiênico-sanitárias do local de venda dos produtos.

 

– O primeiro ponto a ser verificado pelo consumidor é se o estabelecimento está limpo, e depois busque pela licença sanitária que tem que estar na parede, acessível a todos. Este documento comprova que o comércio foi licenciado pela Vigilância. Um outro aspecto a ser observado é se a comida é mantida em local higienizado. É preciso ter atenção também à higiene de quem manipula os alimentos, que deve estar corretamente uniformizado, com proteção de cabelos e nunca ter contato direto com o alimento. Normalmente, ele tem que utilizar um pegador, lembrando que o uso de luvas não é recomendado para evitar a contaminação – destacou a coordenadora Aline Borges.

 

Entre as principais recomendações para este período de carnaval, a médica-veterinária alerta para o preparo das bebidas e do gelo utilizado para consumo.

 

– O consumo de bebidas com frutas e gelo aumento muito nesta época do ano, até por conta do calor. Então, todo o cuidado é pouco. O consumidor deve estar atento às embalagens e ao lacre, que deve estar íntegro, e exigir que esse tipo de bebidas sejam preparadas na hora. não bebendo sucos e refrescos que estejam em outros vasilhames. Além disso, o gelo usado para conservar a bebida não é filtrado, e por isso não serve para colocar dentro do copo. Para consumo, o ideal é o gelo em cubo. Quanto aos alimentos e bebidas comprados na rua, frisamos que a exposição desses produtos ao sol pode acarretar sérios riscos à saúde do consumidor. A dica é ficar atento ao que vai consumir e qualquer suspeita denunciar à Central 1746 – orienta Aline.

 

Outras orientações para aproveitar a folia com menos riscos à saúde

 

1 – Lave bem as mãos antes de consumir alimentos e após utilizar os banheiros.

2 – Observe sempre as condições de higiene dos locais de venda de alimentos.

3 – Compre comidas, bebidas e qualquer outro tipo de alimentos apenas em comércios licenciados pela Vigilância Sanitária.

4 – Verifique o prazo de validade dos produtos antes de consumir.

5 – Confira o rótulo dos produtos industrializados, pois ali estão informações essenciais à saúde.

6 – Não consuma alimentos com textura, cor, odor ou sabor alterados.

7 – Fique atento ao comprar bebidas à base de frutas. Elas devem ser preparadas na hora do consumo.

8 – Cuidado com sintomas como enjoo, vômito e diarreia. Eles podem ser sinais de intoxicação e de outras Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA), que precisam de atendimento médico imediato.

9 – Lembre-se de consumir bastante líquido para se manter hidratado.

10 – Caso identifique no comércio alguma irregularidade, como a falta de higiene que ameaça a saúde, denuncie à Central 1746!

 

Capacitação profissional – Essas dicas fazem parte do roteiro de ações da Operação Carnaval da Vigilância que, para a folia deste ano, capacitou mais de mil profissionais em áreas como as de serviços de beleza e manipulação de alimentos. A qualificação, que é fundamental dentro das ações de prevenção de risco à saúde,  é oferecida ao longo de todo o ano, com o calendário disponibilizado aqui.  Basta escolher a turma do interesse e fazer a inscrição pelo e-mail geducavisa@gmail.com, informando nome completo, atividade exercida e o CPF.