Em três dias, equipes aplicam 165 multas e removem 60 vans

Publicado em 28/03/2019 - 11:17 | Atualizado em 11/04/2019 - 11:26
Na Barra, um motorista foi levado para a delegacia e autuado por lesão corporal ao avançar com a kombi pirata em cima da equipe
Agentes da Coordenadoria Especial de Transporte Complementar (CETC), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), aplicaram 165 multas em ações realizadas desde o início da semana. Até a manhã desta quinta-feira(28), foram 60 vans removidas – das quais, 12  piratas – e outras 13  acabaram lacradas.
 Na manhã desta quinta-feira (28),na Zona Oeste, durante fiscalização realizada por agentes na Estrada da Matriz, o motorista de uma kombi pirata avançou com o veículo em cima da equipe ao perceber que iria ser abordado. Em seguida, fugiu na contramão pela Avenida das Américas, sentido Santa Cruz, mas foi interceptado por uma patrulha da PM. O homem de 30 anos foi encaminhado à 43ª DP (Guaratiba), onde foi constado que o mesmo já havia cumprido pena por roubo à mão armada e já foi enquadrado na Lei Maria da Penha. O motorista  foi atuado por tentativa de lesão corporal.
No início da semana, também na Barra da Tijuca, duas vans piratas foram removidas por imitarem o layout determinado pela Prefeitura a fim de confundir os passageiros e a fiscalização. A operação contou com o apoio de policiais do 31º Batalhão da Polícia Militar.
Desde o início da semana, a CETC realiza ações no Catete, Itanhangá, São Conrado, Jacarepaguá, Freguesia, Coelho Neto, Taquara, Pavuna, Campo Grande, Mato Alto, Santa Cruz, Pedra de Guaratiba, Realengo, Colégio, Madureira, Jacarepaguá, Padre Miguel, Recreio dos Bandeirantes, Magalhães Bastos, Vila Cosmos e Camorim, São Cristóvão, Penha, Sulacap, Higienópolis, Olaria, Pechincha e Bonsucesso. Os fiscais flagraram diversas irregularidades, tais como: veículos com licença fora da validade, em mau estado de conservação, com lotação excedente e estacionados em locais proibido, além de motoristas sem habilitação para dirigir ou sem cadastro na Prefeitura para executar a atividade.
A fiscalização segue intensificada e tem o objetivo de oferecer mais segurança na mobilidade dos usuários do transporte complementar, fiscalizar os serviços prestados por vans e kombis do sistema e reprimir o transporte ilegal realizado por vans piratas. Além disso, as equipes participam da força-tarefa de apoio à intervenção no sistema do BRT realizada por meio de ação integrada pela Seop.
A coordenadoria destaca a importância da população no registro de denúncias, que são anônimas, e podem ser realizadas por meio do 1746 em posse da placa, data, horário e local  com o objetivo de auxiliar no direcionamento e planejamento das ações.