Prefeitura do Rio assina contrato de concessão do Polo Rio Cine Vídeo

Publicado em 15/07/2022 - 13:25 | Atualizado em 15/07/2022 - 13:26
O Polo Cine Vídeo vai receber investimentos de R$ 92 milhões - Beth Santos/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, assinou, nesta sexta-feira (15/7), o contrato da concessão de uso do Polo Rio Cine Vídeo, na Barra da Tijuca. A empresa Quanta DGT foi a vencedora da licitação e agora vai reestruturar e gerir por 30 anos o equipamento de 60 mil m² de área. O projeto prevê investimento de, no mínimo, R$ 92 milhões, que transformarão o complexo em uma referência para o setor audiovisual nacional.

–  O audiovisual é um dos setores que têm a cara do Rio de Janeiro, pois sempre desempenhou um papel de protagonismo. Desde o início desse novo mandato, a RioFilme foi colocada em uma condição especial, o que mostra a importância que temos dado para o setor, que é uma atividade econômica muito importante para a cidade. Esse é um mercado que vai se expandir cada vez mais. Sabemos que o Rio tem uma atração natural e, se tivermos uma boa infraestrutura somada a recursos humanos qualificados, não tenho dúvida de que o Polo vai ser um dos grandes motores da nossa economia. Estamos muito felizes com essa concessão – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

A concessão viabilizará a reforma de 5.200 m² dos oito estúdios atuais e a construção de mais 4.800 m², praticamente duplicando sua área de uso. No total, o novo Polo contará, no mínimo, com 16 estúdios de alto padrão. Também serão construídos espaços comerciais para garantir infraestrutura de ponta para as produções do setor audiovisual, atraindo grandes produções nacionais e internacionais para a cidade.

– Com essa concessão, esperamos trazer mais investimentos, requalificar os mais de cinco mil metros quadrados de estúdios já existentes e duplicar essa capacidade na outra parte do terreno. Temos um investimento estimado de cerca de R$ 100 milhões, a ser feito, integralmente, pela concessionária vencedora da licitação. Com isso, esperamos trazer para o Rio as produções que acabaram saindo daqui por falta de estúdios – disse o presidente da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar), Gustavo Guerrante.

A reestruturação do Polo é uma reinvindicação importante do setor audiovisual carioca e pretende preencher uma lacuna na cidade, que não possui, até então, nenhum equipamento semelhante para atender à crescente demanda por estúdios de qualidade. Após a modernização, o Polo estará preparado para receber produções de diferentes formatos, como cinema, televisão e streaming.

–  O Polo Cine Vídeo é o centro do audiovisual do Rio, por isso essa concessão é um passo muito importante para a retomada do setor. Conversamos muito com o pessoal do mercado para entender o que ele mais necessitava. Além disso, lançamos há pouco tempo um edital de Cash Rebate, que é um estímulo para que produções nacionais e internacionais venham gravar aqui na cidade. O audiovisual do Rio de Janeiro só tende a crescer a partir de agora – explicou o diretor-presidente da RioFilme, Eduardo Figueira.

A Quanta DGT será responsável por toda a manutenção do espaço, como iluminação, instalações prediais, tratamento acústico, sistema de áudio e vídeo, climatização e paisagismo. A modernização dos escritórios, restaurantes, casas de geradores e transformadores também faz parte do escopo do contrato. Durante os primeiros 30 meses, a empresa estará isenta do pagamento do valor da outorga do Polo. Entre outras melhorias previstas, haverá intervenções em espaços como recepção, camarins, vestiários, copa e salas de maquiagem.

– Entendemos que é um momento muito positivo do mercado audiovisual, com uma demanda grande de infraestrutura, que é a nossa área de atuação. A Quanta começou aqui, no Rio, e se desenvolveu também em outros lugares. E agora acredita bastante no mercado carioca  –  disse o presidente da Quanta DGT, Frederic Breyton.

A meta é que o novo Polo Rio Cine Vídeo tenha uma estrutura de ponta, com os equipamentos mais modernos e eficientes disponíveis no mercado para a produção de audiovisual. A reestruturação do espaço é um dos pontos centrais da meta de fortalecimento do ambiente produtivo e exibidor na cidade do Rio, anunciada no Plano de Retomada do Audiovisual Carioca pela Prefeitura do Rio no ano passado.


Plano de Retomada do Audiovisual Carioca já beneficiou cerca de 300 projetos

A partir do lançamento das ações do Plano de Retomada do Audiovisual Carioca, a Prefeitura do Rio já investiu, no biênio 2021/2022, mais de R$ 75 milhões por meio de editais e de fomento direto. No ano passado, foram beneficiados 70 projetos, entre longas e curtas-metragens, mostras e festivais de cinema e ações locais. Neste ano, a previsão é que mais de 200 projetos sejam beneficiados por meio de editais. Em 2022, a RioFilme lançou o maior edital de sua história, com R$ 55 milhões a serem  investidos no setor. Entre os editais lançados, está o de Atração de Produções Audiovisuais para o Município do Rio (Cash Rebate), que tem como meta atrair para a cidade produções de outros estados e países. A expectativa é que essa linha impacte em mais de R$ 50 milhões a economia do município, em setores ligados direta e indiretamente ao audiovisual.

 

 

 

  • 15 de julho de 2022
  • Skip to content