Bicentenário da Independência: Prefeitura do Rio lança documentário ‘Palavras de Independência’, com manuscritos inéditos

Publicado em 05/09/2022 - 18:09 | Atualizado em 08/09/2022 - 18:54
  • Início/
  • /
  • Bicentenário da Independência: Prefeitura do Rio lança documentário ‘Palavras de Independência’, com manuscritos inéditos
O documentário mostra arquivos raros sobre a Independência do Brasil - Alexandre Macieira/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio lançou nesta segunda-feira (05/09), no Palácio da Cidade, em Botafogo, o documentário “Palavras de Independência”, que apresenta manuscritos inéditos sobre este momento histórico do Brasil. O filme, que será exibido nesta quarta-feira (07/09), no canal Film & Arts, retrata como o Arquivo Geral da Cidade, órgão ligado à Secretaria de Governo e Integridade Pública, recuperou raridades do Rio como capital da Independência. Nos documentos originais do município foram encontradas peças inéditas do Século XIX, que registram o processo de transformação do país em uma nação independente, em 1822.

O documentário faz parte das ações da Prefeitura do Rio para comemorar o Bicentenário da Independência. Entre outras iniciativas, estão sendo entregues as obras de revitalização da Quinta da Boa Vista, no Bairro Imperial de São Cristóvão.

O secretário de Governo e Integridade Pública, Tony Chalita, acompanhou o lançamento do documentário e ressaltou a importância da valorização da nossa história:

– O documentário lançado hoje ilustra bem o protagonismo do Rio de Janeiro na história da Independência como capital do vice-reino. Foi por isso que escolhemos o tema Rio Capital da Independência para as ações desenvolvidas pela Prefeitura nas áreas de cultura, conservação, educação, pesquisa e arquivo. Um povo que não valoriza sua história não conhece seu presente e não projeta seu futuro. Que neste 7 de Setembro possamos celebrar a independência com a certeza de que muito precisa ser feito e com o espírito de defesa da nossa história e do nosso povo. O povo é e sempre será o grande protagonista da nossa história.

O filme mostra como os documentos foram recuperados pela equipe técnica e propõe um debate sobre o papel do Rio para a Independência. Com direção de Liloye Boubli, a obra se aprofunda na memória viva do acervo e traz relatos de colaboradores do Arquivo que participaram do processo de reencontro com a História do Brasil. Futuramente, o filme estará disponível no canal do Arquivo no YouTube.

 

Manuscrito ligado à Independência do Brasil – Reprodução

 

O Rio como capital da Independência

Ao longo do documentário, a equipe que trabalha na recuperação da memória da Independência fala como foi descoberto o acervo de raridades, que inclui os autos do famoso “Dia do Fico”, da Aclamação e da Coroação de D. Pedro I, todos com milhares de assinaturas de brasileiros. Um trabalho de preservação de séculos que passou por outros arquivistas. Algumas curiosidades são trazidas para o espectador, como o motivo de o dia 7 de setembro ter sido tão marcante para a história, dentro do processo de Independência, e como outras datas, como o 12 de outubro, Dia da Aclamação, eram consideradas mais relevantes para a população da época.

–  Nossa ideia com o documentário era pegar raridades que estavam no cofre, porque lá ficavam quase dois mil documentos raros. Queremos que ele chegue também às crianças das escolas do município, que elas tenham orgulho da nossa história. E nós temos muito orgulho de saber que o Rio de Janeiro  continua sendo a capital da cultura, do cinema, da alegria de viver. Temos certeza que com nosso empenho a cidade do Rio tem tudo para dar certo. E ela já dá certo. Essa equipe do Arquivo Geral é muito jovem, trabalha com prazer, descobrindo a história – disse a presidente do Arquivo Geral da Cidade, Rosa Maria Araújo.

Outra novidade trazida pelos historiadores é que quase houve um “Dia do Fico” anterior para que Dom João VI permanecesse no Brasil. O filme, além de mostrar imagens de como o Arquivo preserva e valoriza os acervos, também propõe um olhar contemporâneo a respeito das transformações da sociedade ao longo dos séculos. Um exemplo disso é a apresentação da Constituição do Império do Brasil, que para a época era considerada progressista. Esta e outras discussões são levantadas pelos entrevistados.

O Arquivo Geral da Cidade traz ainda outras programações para marcar o Bicentenário da Independência, como o curso gratuito “O Rio no Processo de Independência”, no dia 15/09, e a entrevista inédita com José Murilo de Carvalho, cientista político e historiador brasileiro, sobre “Independência do Brasil e a participação do Rio no processo histórico”, que será disponibilizada nesta quarta-feira nas redes sociais do Arquivo.

  • 5 de setembro de 2022
  • Skip to content