Tratamento que a população merece

Publicado em 07/05/2019 - 17:40 | Atualizado em 07/05/2019 - 17:43

Referência na Zona Oeste, o Hospital Municipal Albert Schweitzer, localizado em Realengo, é conhecido não apenas pela excelência nos serviços prestados, mas também no trato humanizado aos pacientes. A unidade de saúde é a prova de que mesmo em meio à tantas demandas e emergências, pode dar o tratamento atencioso que a população merece. Ele que recebeu até março de 2019, 35.969 pacientes, inclusive de outros bairros e municípios, conta com histórias positivas de pessoas que devem suas vidas aos profissionais que atuam na unidade de Saúde. Até março deste ano, foram realizadas 4.208 internações e 1.330 cirurgias.

Um desses casos é o de Luiza Helena, 51, costureira e paciente renal. Ela deu entrada na unidade com um edema pulmonar, correndo risco de morte. Além do trabalho médico, Dona Luiza elogiou o tratamento que recebe dos funcionários.

– Quase morri, e não foi a primeira vez. Quando cheguei aqui, fizeram todos os procedimentos e quando fiquei boa do edema, começaram a tratar meu problema renal. Eu me dou bem com todo mundo, com os médicos, enfermeiras e outros pacientes. Fico no banquinho tomando sol e conversando com as pessoas. Se alguém precisar vir para cá, tenha certeza que será muito bem atendido – afirmou.

A mamãe de primeira viagem, Angélica Souza Alves, de 26 anos, ficou internada por um mês no hospital, pois sua gravidez era de risco. A pequena Isadora, nasceu prematura, mas graças aos médicos, mãe e filha passam bem, e a neném segue na unidade para ganhar peso.

– Médicos, enfermeiras, não tenho como agradecer. O Albert Schweitzer é referência, muitas pessoas me indicaram e eu vim para cá. Tive uma experiência muito positiva.  Se eu passar por essa situação novamente, eu quero passar aqui. Em outro lugar não tenho confiança – disse a dona de casa.

O motoboy Jorge Sanchez, de 33 anos, está internado há três meses realizando hemodiálise, um tratamento que demanda muito do paciente. São muitas horas na máquina e segundo ele, o clima no hospital o ajuda a passar por isso.

– O pessoal ajuda muito. Funcionários sempre dando força no quarto, junto com a minha família. E o clima é muito legal, brincamos uns com os outros, uma ‘zoada’ no futebol. Por exemplo, quando o time da doutora vence ela brinca comigo, eu brinco com ela. É divertido – conta.

Jaqueline Alexandre da Cruz, de 45 anos, deu entrada na unidade com uma infecção urinária há quatro meses. Foi atendida, medicada e liberada, porém, o problema voltou e ela foi internada para averiguar. Está realizando exames e deve receber alta em breve. Moradora da Zona Oeste, sempre que precisa ela vai ao Albert Schweitzer para tratamento. E os elogios não são poucos.

– A equipe que temos aqui de médicos, enfermeiros é fenomenal. Temos verdadeiros guerreiros. Acho que dentro de um hospital de grandes redes particulares eu não teria o atendimento e a qualidade médica que tive no Albert Schweitzer. O tratamento é maravilhoso – afirma.

Fique por dentro de tudo o que acontece na Secretaria Municipal de Saúde do Rio e nos siga nas redes sociais!

   

Categoria: Saúde

7 de maio de 2019