Saúde promove seminário sobre Acesso Mais Seguro

Publicado em 01/10/2019 - 12:00 | Atualizado em 01/10/2019 - 12:04
  • Início/
  • /
  • Saúde promove seminário sobre Acesso Mais Seguro
Saúde promove seminário sobre Acesso Mais SeguroDebate sobre o protocolo que prevê medidas de segurança para funcionamento de unidades e as redes de proteção reuniu gestores e profissionais de atendimento

O protocolo Acesso Mais Seguro, que reúne medidas de segurança para o funcionamento das unidades da rede de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde), foi o tema de um seminário na manhã de ontem (30), no auditório Barbara Starfield, na sede do Suporte Estratégico e de Gestão em Saúde (Segs), no Centro. No encontro, foi abordada a  Integração das Redes de Proteção, a Gestão dos Eventos de Violência Armada nos Territórios da Saúde e o Acesso Mais Seguro e Promoção da Equidade em Saúde.

De 1º de janeiro a 19 de setembro, com base no protocolo de Acesso Mais Seguro, houve 1.809 notificações de episódios que interferiram no funcionamento da rede básica. Em 267 deles, alguma unidade de Atenção Primária notificou vermelho, interrompendo o funcionamento total por falta de segurança no território. Em outros 1.542 episódios, alguma unidade notificou amarelo, suspendendo as atividades externas para a segurança dos profissionais.

O seminário, organizado pela coordenação das linhas de cuidados dos ciclos de vida, foi encerrado com o debate sobre a produção científica em acesso mais seguro e a discussão do tema “O impacto da violência armada sobre a saúde mental do trabalhador da APS no município do Rio de Janeiro”. Estiveram presentes no evento médicos, enfermeiros, gerentes de unidades, Responsáveis Técnicos, profissionais da rede de Atenção Primária e de Apoio em Saúde da Família, apoiadores institucionais e demais profissionais de saúde interessados no tema.

Na avaliação de Fernanda Prudêncio, coordenadora de Ciclos da Vida da SMS, é sempre gratificante reunir a rede para discutir questões importantes para o funcionamento das unidades.

 

Fernanda Prudêncio, coordenadora de Ciclos da Vida da SMS
Fernanda Prudêncio, coordenadora de Ciclos da Vida da SMS

 

– A violência armada nos territórios é um fenômeno que afeta negativamente a implementação das linhas de cuidado. Precisamos buscar novas possibilidades para potencializar a Estratégia de Acesso Mais Seguro, e, neste momento, o caminho da integração com a criação de uma rede municipal de Acesso Mais Seguro. No meu entendimento, é o caminho mais promissor para potencializar a mitigação de risco nos nossos territórios.

O evento promoveu também a discussão do protocolo, com o relato de experiência de profissionais de áreas conflagradas e de pesquisadores do tema. Os profissionais tiveram a oportunidade de trocar vivências e discutir sobre as especificidades de cada região, como lidar com profissionais e usuários que têm que lidar com situações de violência no cotidiano.

A SMS adota em sua rede o Protocolo de Acesso Mais Seguro, desenvolvido em conjunto com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que estabelece medidas a serem tomadas pelas unidades visando a segurança, tanto de profissionais, quanto dos usuários. Com base em características dos respectivos territórios, as unidades notificam a situação local como vermelha, amarela ou laranja, adotando para cada classificação as medidas cabíveis de segurança.

É importante ressaltar que o protocolo Acesso Mais Seguro visa minimizar o impacto da insegurança sobre a rede de atenção, seus profissionais e usuários. As causas dessa insegurança são uma questão de segurança pública.

 

 

Fique por dentro de tudo o que acontece na Secretaria Municipal de Saúde do Rio e nos siga nas redes sociais!

   

Categoria: Saúde

1 de outubro de 2019