Saiba o que é mito ou verdade em relação à asma, que atinge 20 milhões de brasileiros

Publicado em 06/09/2019 - 17:27 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Saiba o que é mito ou verdade em relação à asma, que atinge 20 milhões de brasileiros

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), estima-se que cerca de 20 milhões de pessoas sofram com asma no Brasil e, no mundo todo, mais de 300 milhões. Porém, apesar da grande incidência, ainda existem mitos sobre a doença. Sendo assim, a Prefeitura do Rio de Janeiro apresenta alguns esclarecimentos sobre a enfermidade, caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas. Hoje existem diversos tratamentos que podem ajudar a amenizar os sintomas da doença e melhorar a qualidade de vida.

Como faço para saber se tenho asma? *

Falta de ar, chiado no peito, tosse, sensação de aperto no peito e, dependendo da gravidade da doença, limitação para atividades diárias. Os sintomas acontecem em crises mais ou menos fortes e, em geral, são desencadeados pela inalação de substâncias da poeira, odores fortes irritativos para as vias respiratórias (perfumes, produto de limpeza), fumaça de cigarro, ar frio e seco (ar refrigerado), exercícios/brincadeiras ou infecções respiratórias (resfriados e gripes).

Sempre realizado por um médico, o diagnóstico da asma é predominantemente clínico e se baseia na presença dos sintomas de tosse (seca ou com eliminação de muco transparente semelhante à clara de ovo), chiado no peito, falta de ar, sensação de aperto no peito de forma repetida ou contínua, pela presença de histórico pessoal ou familiar de doenças alérgicas (a própria asma em pais ou outras doenças como rinite e dermatite atópica) e pela melhora dos sintomas com o uso de medicamento que dilata os brônquios (broncodilatadores).

Contudo, outros exames podem ajudar a confirmar essa suspeita, como a espirometria (exame de sopro). Em muitos pacientes, a asma pode ser acompanhada por sintomas no nariz (rinite) tais como coceira, espirros, coriza e fungação. Testes alérgicos deverão ser realizados para verificar se a doença tem uma natureza alérgica ou não.

Diante desses sintomas, é provável que se trate de asma e o médico deve, então, avaliar se o paciente tem alergia (por meio de testes alérgicos na pele ou no sangue) e também realizar uma prova de função respiratória, a espirometria, para avaliar o grau de comprometimento da função dos pulmões.

*O artigo é de autoria do Departamento Científico de Asma da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI).

Mitos e Verdades

1 – A genética do paciente pode favorecer o aparecimento de asma? Verdade.

Sim, a genética tem grande influência na asma e crianças de pais asmáticos possuem um risco maior de desenvolver a doença. Se um dos pais forem asmáticos o risco é de 25%, enquanto se os dois tiverem o problema a probabilidade sobre para 50%.

2 – A famosa “bombinha” de asma vicia? Mito.

Os broncodilatadores como são chamados, aliviam a falta de ar momentaneamente quando inalados. Entretanto, é muito comum os pacientes não tratarem a asma de forma contínua, com medicamentos que estabilizam a doença evitando crises.  Assim usam as bombinhas de alivio com maior frequência. O ideal é sempre procurar um médico e seguir as orientações do profissional, evitando assim crises asmáticas mais graves.

3 – O uso contínuo de medicamentos como as “bombinhas” faz mal para o coração? Mito.

No passado, quando surgiram os primeiros remédios broncodilatadores para a asma, existiam substâncias que tinham como efeito colateral a aceleração do coração. Contudo, esses efeitos foram minimizados com as novas drogas e dispositivos que existem hoje no mercado.

4 – Asma em adultos pode estar relacionada à insônia? Verdade.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Pittsburgh, pacientes que têm problemas para dormir costumam ter mais crises de asma. Os pacientes que sofrem das duas doenças, asma e insônia, têm chances maiores de apresentarem quadros de depressão e sintomas de ansiedade.

5 – Asma e bronquite crônica são a mesma coisa? Mito.

As duas doenças costumam ser muito confundidas por apresentarem sintomas parecidos. A diferença é que a asma se manifesta em crises reversíveis, enquanto a bronquite crônica se caracteriza pela ocorrência de tosse produtiva crônica, por mais de três meses no ano, durante pelo menos dois anos consecutivos.

6 – Atividade física faz bem para pessoas asmáticas? Verdade.

Atividade física é fundamental para um estilo de vida saudável. A natação, por exemplo, ajuda no fortalecimento da musculatura respiratória. Já beber de dois a três litros de água por dia ajuda a fluidificar as secreções e facilita na sua eliminação.

7 – Asma começa na infância e se cura na vida adulta? Mito.

A asma não tem cura, mas pode ser controlada a ponto dos seus portadores levarem uma vida normal. Procure seu médico.

8 – Gripes e resfriados podem piorar os sintomas da asma? Verdade.

Proteja-se das infecções virais, como gripe e resfriado comum. Eles podem desencadear sintomas da asma. Lavar as mãos com frequência e manter a carteira de vacinação em dia podem ajudar no combate a infecções mais graves. A vacina contra a gripe é indicada para todas as pessoas asmáticas, independente da idade.

9- Asma e obesidade podem estar diretamente relacionadas? Verdade

O excesso de gordura no corpo leva a altos níveis de leptina e citocina inflamatórias, que estão ligadas ao surgimento da asma. Além disso, a obesidade altera propriedades mecânicas do sistema respiratório.

Fontes: ASBAI e SBPT

  • 6 de setembro de 2019