Prefeitura libera eventos em locais abertos a partir da próxima terça-feira

Publicado em 17/09/2021 - 12:20 | Atualizado em 19/09/2021 - 18:43
A partir da próxima terça estão liberados eventos em locais abertos com até 500 pessoas - Fabio Motta/Prefeitura do Rio

A partir da próxima terça-feira (21/09), a Prefeitura do Rio passa a autorizar a realização de eventos em locais abertos, com lotação máxima de 500 pessoas. Já o funcionamento de boates, danceterias e salões de dança permanece suspenso  até que 65% da população tenha recebido a segunda dose da vacina contra Covid-19. Quando a marca for alcançada, esses estabelecimentos poderão funcionar com metade da capacidade.

 

– O decreto de hoje já autoriza algumas coisas e cria parâmetros para a gente olhar para a frente. Quando a cidade chegar a 65% da população totalmente imunizada haverá novas flexibilizações. Ou seja, está recolocado aqui um planejamento de reabertura, a partir daquilo que foi definido pelo comitê científico. A premissa é sempre essa: se voltar a piorar, muda tudo novamente – afirmou o prefeito Eduardo Paes, durante a divulgação do 37ª Boletim Epidemiológico, no Centro de Operações Rio (COR), na Cidade Nova.

 

O decreto nº 49.411, publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (17/09), traz essas novas medidas após análises da situação epidemiológica da Covid-19 no município, realizadas pelo Centro de Operações de Emergência (COE Covid-19 Rio). No documento consta ainda a ata da 12ª reunião do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) da Prefeitura do Rio, de 9 de agosto, que teve como pauta, entre outros assuntos, o planejamento do processo de redução gradual, por etapas, das medidas restritivas.

 

A  37ª edição do Boletim Epidemiológico apresenta, pela primeira vez em 2021, o mapa de risco da cidade para transmissão da Covid-19 predominantemente na classificação amarela. Trinta das 33 regiões administrativas (RAs) do município estão no estágio de atenção de risco moderado no indicador que considera as internações e óbitos – as exceções são Centro, Copacabana e Tijuca.

 

– Nosso panorama epidemiológico é um dos melhores durante este período de pandemia. Temos uma redução muito importante no número de internações e de casos, e isso vai se refletir na redução dos óbitos. A expectativa é que, com o avanço da vacinação na cidade, a gente continue com essa queda permanente nos próximos dias – disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

 

Além dos óbitos e hospitalizações, casos notificados por Covid-19 e os atendimentos na rede de urgência e emergência por síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave na capital também mantêm a tendência de queda sustentada.

O 37º boletim mostra que, desde março de 2020, o município do Rio soma 472.005 casos de Covid-19, com 33.131 óbitos. Em 2021 são 256.466 casos e 14.048 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 5,5%, contra 8,9% em 2020; e a de mortalidade, em 210,9 a cada 100 mil habitantes, contra 286,5/100 mil no ano passado. A incidência da doença é de 3.850,1/100 mil, quando em 2020 era de 3.235,7/100 mil.

 

 

Paes disse que a flexibilização das medidas vai aumentar de acordo com o avanço da vacinação – Fabio Motta/Prefeitura do Rio

 

 

Vacinação

 

O município do Rio atingiu, nesta semana, 60% da população adulta carioca com o esquema vacinal completo, e 98% com a imunização já iniciada. Quanto à população adolescente, metade deles, totalizando 240 mil jovens, já recebeu a primeira dose da Pfizer – único imunizante liberado para esse público pela Anvisa.

 

Nesta quinta-feira (16/09), o Ministério da Saúde (SMS) publicou uma nota técnica que suspende a vacinação de adolescentes. Entretanto, o município do Rio, considerando a importância de proteger esse grupo diante do cenário pandêmico e entendendo a vacinação como benéfica individual e coletivamente, mantém a vacinação dos jovens de 14 anos nesta sexta-feira (17/09), assim como ocorreu na quinta. Já a vacinação dos meninos e meninas de 13 e 12 anos será um dos temas da reunião, na próxima quarta-feira (22/09), do CEEC, que avaliará as ponderações do Ministério da Saúde. O assunto também está em discussão pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reforça que todas as vacinas ofertadas no país têm suas segurança e eficácia cientificamente comprovadas e que apenas a Pfizer está sendo usada no Município em menores de 18 anos.

 

Além dos meninos de 14 anos, nesta sexta-feira (17/09) vacinam-se pessoas com 22 anos ou mais; gestantes, puérperas, lactantes e pessoas com deficiência a partir de 12 anos. A dose de reforço será aplicada em idosos de 91 anos ou mais e pacientes com alto grau de imunossupressão a partir de 60 anos. Já no sábado (18/09) haverá repescagem para pessoas com 20 anos ou mais e dose de reforço para idosos de 90 anos ou mais e pacientes com alto grau de imunossupressão a partir de 60 anos.

 

Em ambos os dias a aplicação de segunda dose (D2) acontece normalmente para os imunizantes da Pfizer e AstraZeneca, porém  o da CoronaVac está temporariamente paralisado, até que sejam liberadas as 166 mil doses do lote suspenso para uso, de forma cautelar, pela Anvisa. A continuidade do calendário de vacinação no Município do Rio e repescagem por idade estão condicionados ao recebimento das doses programadas pelo Ministério da Saúde, órgão responsável pelo envio de remessas.

 

Até a última quinta-feira (17), 5.310.171 pessoas haviam tomado a D1 de CoronaVac, AstraZeneca ou Pfizer, e outras 138.651 receberam o imunizante da Janssen, que tem o esquema vacinal de dose única (DU). Esse total representa 94,2% da população carioca elegível para a vacinação (a partir de 12 anos) com a imunização iniciada ou concluída. Entre as pessos que seguem o esquema vacinal de duas doses, 3.069.883 já receberam a D2, o equivalente a 55,5% da população elegível com a imunização completa. As doses de reforço (DR) em idosos já somam 15.781 aplicações.

 

A SMS-Rio disponibiliza mais de 280 pontos de vacinação em toda a cidade, funcionando de segunda-feira a sábado, para facilitar o acesso da população à vacina. A lista desses  pontos, seus horários de funcionamento, o calendário de vacinação e outras informações estão disponíveis em coronavirus.rio/vacina e nas redes sociais da Secretaria Municipal de Saúde e da Prefeitura do Rio. A vacinação em domicílio está disponível para idosos acamados (DR) e PcD com 12 anos ou mais e pode ser solicitada pelo site coronavirus.rio ou pelo WhatsApp 21 97620-6472 (canal de atendimento de segunda a sexta-feira, de 9h a 16h). O prazo para o agendamento é de 30 dias.

Evento-teste no Maracanã

 

Na última quarta-feira (15/09) ocorreu o primeiro dos três jogos do Flamengo no Maracanã com público autorizado pela SMS, por meio do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária. A realização do evento-teste estava condicionada ao cumprimento rigoroso de um protocolo sanitário. Para acesso ao estádio, o público presente, entre torcedores e trabalhadores na partida, teve que usar máscaras de proteção, apresentar comprovante de vacinação e teste recente negativo para covid-19. Por este último quesito, 0,9% dos espectadores e 0,7% dos trabalhadores foram impedidos de participar do evento.

 

O público foi ainda previamente cadastrado, com todos os dados informados, incluindo CPF, para monitoramento da SMS pelas próximas duas semanas. Caso algum desses CPFs seja relacionado a um caso notificado e confirmado de covid-19 dentro desse período, será identificado pela SMS.

 

Os próximos eventos-teste previstos, também partidas de futebol do clube rubro-negro carioca, acontecerão nos dias 19 (Flamengo X Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro) e 22 de setembro (Flamengo X Barcelona de Guayaquil, pela Copa Libertadores).

  • 17 de setembro de 2021