Vacinação no Rio tem início em cerimônia no Cristo

Publicado em 18/01/2021 - 20:09 | Atualizado em 18/01/2021 - 20:59
A idosa Teresinha da Conceição e a técnica de enfermagem Dulcineia da Silva - Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Aos pés do Cristo Redentor, cartão-postal da cidade, a Prefeitura do Rio, em parceria com o Governo do Estado, aplicou nesta segunda-feira (18/01) as primeiras vacinas contra a Covid-19 em uma idosa que vive em um abrigo e uma profissional da rede municipal de Saúde na linha de frente contra a pandemia. O ato marcou o início da distribuição das doses de CoronaVac na capital fluminense, arrancou aplausos e foi acompanhado de perto pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, e pelo governador em exercício, Cláudio Castro.

– A vacina é a luz no fim do túnel. É um momento muito importante e que vai trazer bons resultados. Que bom que estamos saindo desse momento ruim da humanidade. Estamos saindo mais fortes – declarou Eduardo Paes, agradecendo o governador pela parceria.

– O mais importante é que os governos trabalhem em conjunto trazendo resultados para a população. Estamos ainda em meio a uma pandemia, mesmo com o começo da vacina. Respeitem as regras e não aglomerem – pediu.

Para o governador, foi um dia de celebração da esperança.

– É uma vacina jovem, mas confiem nela. Está aqui para salvar vidas. Se os técnicos da Anvisa aprovaram, podemos confiar – ressaltou.

 

As escolhidas para as primeiras doses no Rio – Beth Santos / Prefeitura do Rio

 

Uma das vacinadas, Terezinha da Conceição, 80 anos, foi acolhida pela prefeitura em 2015, em situação de vulnerabilidade e risco social, pois sua casa, construída em área de risco, foi demolida pela Defesa Civil. A moradia, no bairro Santo Cristo, não tinha saneamento básico e estava próxima à ribanceira.

Ela recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), assistência de um salário mínimo por mês pago a idosos a partir dos 65 anos ou deficientes de qualquer idade que comprovem baixa renda.

Técnica de enfermagem do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, atuando há oito meses na linha de frente do enfrentamento da pandemia, Dulcinéia da Silva Lopes, 59 anos, também recebeu a aplicação de CoronaVac e não escondeu a alegria. Exibiu para os fotógrafos a sua caderneta de vacinação.

Em homenagem a este dia marcante, o Cristo Redentor estará iluminado com as cores verde e amarelo nesta noite.

Servidora da Secretaria Municipal de Saúde desde 1979 e uma das fundadoras do Programa de Imunização da cidade do Rio, Adélia Maria dos Santos, de 71 anos, aplicou uma das doses da vacina nesta segunda-feira e relatou que foi uma experiência única.

Ela atuou na Sala de Imunização da unidade básica de saúde, que atualmente é o Centro Municipal de Saúde (CMS) Cecília Donnangelo. Era a única enfermeira da unidade e trabalhou nas primeiras campanhas de vacinação contra o sarampo e poliomielite. Também foi chefe de enfermagem no CMS Augusto Amaral Peixoto, onde seguiu atuando na sala de vacinação.

 

Prefeitura apresenta plano de vacinação contra a Covid-19

  • 18 de janeiro de 2021