Parceria leva melhorias ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla

Publicado em 04/11/2021 - 18:42 | Atualizado
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, destacou a importância de parcerias com o setor privado - Beth Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio entregou, nesta quinta-feira (4/11), a reforma do sistema de ar-condicionado central do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), em Acari.  Como fruto de uma parceria inédita, a Ambev doou cerca de R$ 2 milhões em materiais e serviços ao município e ficou responsável pela extensa manutenção corretiva do sistema, restabelecendo a condição de funcionamento e climatização para 26 enfermarias localizadas no quarto e no quinto pisos da unidade e para outros setores estratégicos do primeiro e do segundo andares, como os centros cirúrgicos.

 

– Cada vez mais, precisamos dessa parceria com o setor privado, essa responsabilidade social que as empresas têm com o Brasil. Quanto mais parcerias nós pudermos fazer, melhor. É uma cultura importante que precisamos criar no Brasil e deixo, aqui, meus agradecimentos – afirmou o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

 

A revitalização foi completa e incluiu reparos desde a troca e limpeza de peças estratégicas para o funcionamento do sistema, como bombas de água gelada e de condensação e torres de arrefecimento, até a correção e modernização de equipamentos, que foram levados a uma fábrica da Ambev para fazer os ajustes. Como há similaridade entre os sistemas de refrigeração das cervejarias com o hospitalar, a companhia reuniu 25 colaboradores do seu time de manutenção, com dedicação exclusiva, para atuar no Ronaldo Gazolla. Engenheiros e técnicos uniram conhecimento industrial e muita tecnologia para solucionar uma das questões mais sensíveis do HMRG.

 

– É um legado que fica para a cidade. Conheço esse hospital desde 2009 e ele nunca conseguiu funcionar plenamente, pelo tamanho que tem, pela complexidade e dificuldades estruturais que tinha. Ver o sistema de ar condicionado funcionando é muito emocionante – destacou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

 

Foi o maior investimento em manutenção do sistema de ar-condicionado central desde a inauguração do hospital, em março de 2008. O serviço trará conforto para pacientes e funcionários, além de manter uma temperatura ambiente mais segura para o controle de infecções.

 

– O sentimento de estar aqui é de orgulho e a mensagem que deixo é a de obrigado por ter deixado a gente participar dessa história. Nossa decisão foi passar por essa pandemia deixando o nosso grão de areia de ajuda, com algum tipo de legado – frisou o CEO da Ambev, Jean Jereissati Neto.

 

O HMRG é originalmente um hospital de retaguarda, voltado à realização de cirurgias consideradas eletivas, atendimento ambulatorial em especialidades e internação de pacientes de diversas patologias. Com a chegada da pandemia de Covid-19 ao Brasil, a partir de março de 2020 foi adaptado, teve o número de leitos ampliado e foi dedicado exclusivamente à internação e tratamento de pacientes com quadros mais graves da doença, em leitos de enfermaria ou UTI. Desde então, atendeu 14.817 pessoas com complicações relacionadas à infecção causada pelo novo coronavírus.

Com a redução dos índices de contágio e hospitalizações pela Covid-19, após o avanço da campanha de vacinação imunizando grande parte da população carioca, a Secretaria Municipal de Saúde começou a desmobilizar parte dos leitos então dedicados à doença. Em 1º de outubro, o HMRG retomou então os atendimentos de pacientes pelas especialidades, convertendo 100 (48 de UTI e 52 de enfermaria) dos 420 leitos para o atendimento a outras patologias e voltando a realizar cirurgias eletivas como hérnia, tireoide e vesícula. Desde então, foram atendidos 455 pacientes com outros problemas de saúde.

O Hospital Ronaldo Gazolla também segue como referência no monitoramento de sequelas pós-infecção pela Covid-19. Atualmente, a unidade conta com uma enfermaria exclusiva para pessoas que apresentam dificuldades neurológicas, motoras, respiratórias, psicológicas, cardiológicas, entre outras. Além disso, a unidade contará com um Centro de Reabilitação para que os pacientes sejam acompanhados de perto por profissionais especializados, recebendo todo o suporte necessário para sua plena recuperação.

 

A Ambev doou cerca de R$ 2 milhões em materiais e serviços ao município e ficou responsável pela extensa manutenção corretiva do sistema – Beth Santos/Prefeitura do Rio
  • 4 de novembro de 2021