No Dia Mundial de Doação de Leite Materno, 19 de maio, a Prefeitura do Rio faz alerta para incentivar doação

Publicado em 19/05/2020 - 19:02 | Atualizado
Mãe amamentando o filho e pai observa o bebê no colo da mãeEstoques dos bancos de leite municipais estão reduzidos desde o início da pandemia de coronavírus. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inicia nesta terça-feira, dia 19/05, Dia Mundial de Doação de Leite Materno, uma campanha para aumentar os estoques nos bancos de amamentação das unidades municipais.

Desde o início da pandemia de coronavírus na cidade, os estoques dos bancos de leite das maternidades municipais estão reduzidos e nem todos conseguem receber a força-o com regularidade. A maternidade Leila Diniz, por exemplo, que recebe em torno de 35 a 40 litros por mês, teve uma redução de 25% em abril.

A amamentação é de extrema importância nos primeiros meses de vida do bebê. Porém, muitas crianças não conseguem se alimentar diretamente no seio materno ou as mães não têm leite suficiente.

Para garantir a alimentação dos bebês internados nas maternidades municipais, os bancos de Leite Humano (BLH) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) são centros especializados e se abastecem a partir de doações de pacientes ou voluntárias externas, todas mulheres saudáveis com excesso de leite.

O leite humano doado passa por um processo de pasteurização e todo controle de qualidade para ser utilizado pelos bebês internados nas unidades neonatais. Segundo dados do Ministério da Saúde, cada pote com 300 ml de leite humano é responsável por ajudar até 10 recém-nascidos por dia.

Recolhimento em casa

A Maternidade Leila Diniz faz o recolhimento em casa do leite humano de moradoras da Barra, Recreio e Jacarepaguá. Para isso, basta ligar para o telefone 3111-4930.

Ana Paula Abreu, nutricionista chefe do banco de leite humano da Maternidade Leila Diniz explica a importância do leite humano para os bebê internados na UTIs neo-natal, dá dicas de como ser uma doadora.

– Se você está amamentando é saudável e tem excesso de leite, você também pode ser uma doadora. Sabemos que no momento de pandemia é um pouco complicado, mas há maternidades municipais, como a Leila Diniz, que podem ir até a doadora recolher o leite – explica a nutricionista.

Saiba como doar

Amamentar é um ato de amor. Doar o leite para quem precisa também. Se você deseja ser uma doadora de leite humano entre em contato com os bancos de leite da Secretaria Municipal de Saúde http://www.rio.rj.gov.br/web/sms/exibeconteudo?id=8272343