Município amplia vacinação contra a Covid-19 para o público em geral na próxima semana

Publicado em 28/05/2021 - 13:02 | Atualizado em 30/05/2021 - 06:32
Soranz pede para que a população vá se vacinar à tarde - Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

Após concluir  a vacinação contra a Covid-19 dos grupos prioritários neste sábado (29/05), a Prefeitura vai ampliar a imunização para o público em geral a partir de segunda-feira (31/05), seguindo escalonamento etário. Vai iniciar com pessoas de 59 anos, com redução gradativa da idade nos dias subsequentes. A previsão é que, em cinco meses, seja alcançada toda a população adulta. Até 23 de outubro, a meta é que 90% de quem tiver 18 anos ou mais estejam vacinados, o que representa 4,7 milhões de pessoas, ou ainda 75% de toda a população carioca.

O calendário completo, que está disponível em coronavirus.rio/vacina, foi planejado de acordo com a previsão de envio de vacinas divulgada pelo Ministério da Saúde, e sua manutenção está condicionada ao cumprimento deste cronograma.

Desde janeiro, os grupos prioritários convocados para a campanha de vacinação na cidade do Rio superaram a marca de dois milhões de primeiras doses aplicadas, e bateram antecipadamente a meta de 40% da população alvo tomarem, ao menos, a primeira dose até o fim de maio. Esses grupos foram compostos por idosos (institucionalizados ou não); pessoas com comorbidades (lista do Programa Nacional de Imunizações); trabalhadores da saúde; pessoas com deficiência (institucionalizadas ou não); população indígena e quilombola; gestantes e puérperas com comorbidades; população em situação de rua; população privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade; e trabalhadores da educação. Assim, o município contemplou os 20 principais públicos indicados pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

Até a última quinta-feira (27/05), 2.088.809 pessoas haviam tomado a primeira dose (D1) da vacina contra a Covid-19 no Rio, representando 31% da população carioca. Desse total, 946.290 completaram o esquema vacinal, recebendo também a segunda dose (D2) do imunizante. Um dos primeiros grupos prioritários convocados na campanha de vacinação, os idosos residentes na cidade já alcançam 97,7% de cobertura da D1.

Quem já tomou a D1 deve ficar atento ao prazo de retorno para tomar a D2 da vacina, pois somente com o esquema vacinal completo, de duas doses, é possível garantir a eficácia da imunização. Essa data é anotada a lápis no comprovante de vacinação da D1. Se estiver com D2 em atraso, a pessoa deve retornar ao local de vacinação onde tomou a D1 o quanto antes para completar a proteção contra a Covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disponibiliza mais de 270 pontos de vacinação em toda a cidade, funcionando de segunda-feira a sábado, para facilitar o acesso da população à vacina com maior conforto e menor tempo de espera em fila. A lista desses pontos, o calendário de vacinação e mais informações sobre grupos prioritários, documentos, etc. estão disponíveis em coronavirus.rio/vacina e nas redes sociais da SMS.

 

– Se está na sua vez, vá se vacinar. Não espere a repescagem. Reforçamos a recomendação para as pessoas se vacinarem no período da tarde, porque pela manhã os postos sempre estão mais cheios. É muito importante que a população contribua, indo pela manhã somente se for estritamente necessário – ressalta Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde.

 

Variante indiana

 

Nesta semana, foi confirmado o caso do morador de Campos dos Goytacazes infectado com a variante indiana do coronavírus (B.1.617), que chegou ao Rio após viagem à Índia, com escala em São Paulo. O homem, de 32 anos, atualmente cumpre quarentena em um hotel na cidade do Rio e apresenta estado de saúde estável, sem sintomas graves. A SMS segue fazendo o monitoramento diário do paciente e de todas as pessoas que tiveram contato com ele. Até o momento, nenhum dos contactantes apresentou sintomas, e os que já fizeram o teste o resultado deu negativo.

 

No total, na última semana, 37 novos casos de diferentes variantes do vírus foram identificados na cidade, sendo 11 moradores locais. Desde a identificação do primeiro caso, o município contabiliza 495, sendo 384 residentes. São 373 casos da variante brasileira (P.1) e 11 da britânica (B.1.1.7). Dos moradores infectados por essas cepas, 34 faleceram, 14 permanecem internados, e 336 já são considerados curados. Dos não moradores do Rio infectados pelas variantes, 24 vieram de Manaus, 7 de Rondônia e 80 de outros municípios.

Independentemente da variante, as medidas preventivas são as mesmas para a população: manter o distanciamento, usar máscaras e higienizar as mãos com álcool 70° ou, quando possível, água e sabão; além das demais medidas de proteção à vida estabelecidas na Resolução Conjunta SES/SMS Nº 871 de 12/01/21, que podem ser consultadas em coronavirus.rio.

 

– Ainda é momento de se proteger. Há muita gente internada nos hospitais. Tem que se ter cautela, por isso prorrogamos as medidas. Temos ações de fiscalização previstas e esperamos que pessoas cumpram, entendendo o momento em que a gente vive. É importante que continuem usando máscara e evitem qualquer tipo de exposição desnecessária. Quem não cumpre coloca a sua saúde e de outras pessoas em risco – destaca Soranz.

 

Desde março de 2020, o município do Rio soma 320.393 casos de Covid-19, com 26.185 óbitos. Somente em 2021 são 116.395 casos e 7.637 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 6,6%, e a de mortalidade, em 114,6 a cada 100 mil habitantes. A incidência da doença é de 1.747,3/100 mil.

 

Márcio Garcia: A vacina é a forma mais segura de evitar casos graves – Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

 

O 21º Boletim Epidemiológico, divulgado nesta sexta-feira (28/05), indicou a permanência de todas as 33 regiões administrativas do município na classificação de alto risco para a transmissão da Covid-19, considerando as internações e óbitos, pela terceira semana seguida. O número de casos da pandemia se mantém num platô, e os óbitos e atendimentos de síndromes gripal e respiratória aguda grave (SRAG) ainda apresentam tendência de queda.

 

– Comparando dados do final de 2020 com dados atuais, notamos redução do impacto da doença em pessoas com mais de 60 anos, já mostrando o efeito da vacinação nesta população e que a vacina é eficaz, além de ser a forma mais segura de evitar casos graves da Covid-19 e óbitos pela doença – comenta Márcio Garcia, superintendente de Vigilância em Saúde da SMS.

 

 

Medidas de proteção à vida

 

Em novo decreto publicado nesta sexta-feira (28/05), a Prefeitura prorroga as medidas de proteção à vida vigentes até 14 de junho. O objetivo é manter algumas restrições sociais a fim de dar continuidade ao enfrentamento da pandemia. O decreto nº 48.912, de 27 de maio de 2021, determina que bares, lanchonetes, restaurantes, quiosques da orla e congêneres continuam com permissão para o consumo apenas para clientes sentados, com distanciamento mínimo de um metro e meio entre cada conjunto composto por mesa e cadeiras limitado a oito ocupantes, sendo admitida música ao vivo sem restrição de horário. Já as academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e condicionamento físico podem ter aulas em grupos, com a ocupação dos ambientes limitada a um indivíduo a cada quatro metros quadrados.

Casas de espetáculo, concertos e apresentações podem funcionar, desde que mantenham distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os participantes, com capacidade de lotação máxima de 40% em locais fechados e 60% em locais abertos, somente com público sentado. As mesmas regras valem para atividades comerciais e de prestação de serviços localizadas no interior de shopping centers, centros comerciais e galerias de lojas, bem como as atividades de museu, biblioteca, cinema, teatro, casa de festa, salão de jogos, circo, recreação infantil, parque de diversões, temáticos e aquáticos, pista de patinação, entretenimento, visitações turísticas, aquários, jardim zoológico, apresentações, drive-in, feiras e congressos, exposições e eventos autorizados. Em todas essas ocasiões, a formação de filas de espera e de aglomerações na entrada e saída é proibida.

Rodas de samba estão liberadas, mas continuam suspensos o funcionamento de boates, danceterias e salões de dança; a realização de eventos, como festas com vendas de ingresso, em áreas públicas e particulares; e a entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município, exceto aqueles que prestem serviços regulares para funcionários de empresas ou para hotéis, cujos passageiros comprovem, neste caso, reserva de hospedagem.

A fiscalização das medidas do decreto será feita pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), pela Guarda Municipal e pelo Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Vigilância de Zoonoses e de Inspeção Agropecuária (Ivisa-Rio) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

  • 28 de maio de 2021