Missão de solidariedade: médicos da rede municipal do Rio já estão em Beirute para ajudar a cuidar dos feridos na explosão 

Publicado em 12/08/2020 - 08:51 | Atualizado em 12/08/2020 - 08:54
Médicos da rede municipal de saúde na chegada ao aeroporto de Beirute. Foto: Marco Antonio Rezende / Prefeitura do Rio

Já estão em Beirute os seis médicos da rede municipal de saúde que viajaram na última segunda-feira (10/08) para o Líbano, em missão humanitária de ajuda aos milhares de feridos da explosão na capital daquele país. O acidente deixou também mais de uma centena de mortos.

São cinco médicos do Hospital Miguel Couto e um do Souza Aguiar, especialistas no atendimento a pacientes vítimas de traumas e queimaduras.

No grupo há três cirurgiões gerais, uma neurocirurgiã, um cirurgião plástico e uma clínica geral. A Prefeitura do Rio também está enviando medicamentos a Beirute.

– Temos a oportunidade de poder diminuir o sofrimento daquele povo. São em torno de 5 mil feridos, com muita gente ainda precisando de ajuda – afirma Washington Sérgio Gonçalves Milezi, cirurgião geral e torácico do Miguel Couto.

Na viagem, que durou quase um dia, o grupo fez escala em Frankfurt, na Alemanha, e depois em Istambul, na Turquia, antes de seguir para a capital libanesa. Todos os médicos da comitiva da Prefeitura testaram negativo para Covid-19.

Os profissionais brasileiros permanecerão em Beirute por duas semanas, com retorno ao Rio previsto para o dia 27 deste mês. Todos atuarão na linha de frente da tragédia libanesa, utilizando EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) que estão levando na viagem e seguindo os protocolos sanitários de prevenção, tanto em relação ao novo coronavírus quanto a outros tipos possíveis de contaminação.