Três milhões de pessoas celebram a chegada de 2023 nos nove palcos espalhados pela cidade do Rio

Publicado em 01/01/2023 - 12:08 | Atualizado em 01/01/2023 - 12:26
A festa da chegada do ano novo reuniu cerca de 3 milhões de pessoas nos palcos espalhados pela cidade - Prefeitura do Rio

Três milhões de pessoas celebraram o ano novo nos nove palcos espalhados pela cidade do Rio. Somente em Copacabana, o público foi superior a dois milhões para receber 2023, em uma noite que marcou a retomada da maior festa de réveillon do planeta, após dois anos de pandemia de Covid-19.

– Foi uma noite incrível. Após dois anos, o maior réveillon do mundo voltou e retomamos a festa em Copacabana com todo o seu esplendor. Cariocas e turistas celebraram a chegada de 2023 em um clima de paz, harmonia, amor e ao som de artistas incríveis do nosso país. Feliz 2023 para todos – comemorou o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Além de Copacabana e seu espetáculo de 12 minutos de fogos piro-musicados, Penha, Flamengo, Recreio e Barra da Tijuca, Paquetá, Ilha do Governador, Ramos, Guaratiba, Sepetiba e Madureira também receberam público para celebrar a chegada de 2023. E o ano novo chegou em uma atmosfera de diversidade e inclusão.

– Precisávamos celebrar esse recomeço após dois anos de pandemia. A festa está maravilhosa, inesquecível. Cariocas e turistas puderam curtir a virada de 2023 em paz e harmonia, com shows maravilhosos e muitos fogos. Essa festa é só o recomeço, vamos ter um ano de muitas alegrias, muitos eventos, mostrando que toda a cidade tem potencial para realizar momentos deslumbrantes. Vamos ter um 2023 de muitas surpresas – disse o presidente da Riotur, Ronnie Costa.

O Réveillon 2023 contou com a atuação de 30 órgãos públicos que garantiram a fluidez da festa. Foram 195 profissionais da CET-Rio para coordenar o trânsito nas ruas e mais de 1.500 agentes e guardas municipais para ações de ordenamento e apoio ao trânsito. E mais de 4.400 garis, o maior efetivo da história, foram mobilizados. Só Copacabana recebeu quatro postos médicos, cerca de 300 profissionais de saúde e mais de 30 ambulâncias para atendimentos. E as comemorações foram monitoradas pelas novas telas do Centro de Operações Rio (COR), inauguradas neste sábado (31/12), com um vídeo wall formado por 125 telas de 55 polegadas, o maior da América Latina.

 

Em Copacabana, o espetáculo teve 12 minutos de fogos piro-musicados – Prefeitura do Rio

 

Balanço das ações dos órgãos da Prefeitura do Rio: 

Ordem Pública e Guarda Municipal

Na Operação Réveillon 2023, foram empregados 1.517 agentes para fiscalizar ambulantes e fazer o ordenamento urbano, sendo 355 guardas municipais exclusivamente no monitoramento e fiscalização do trânsito. As ações tiveram início na sexta-feira (30/12) e até a manhã deste domingo (01/01), 9.724 itens foram apreendidos pelos agentes como: 165 garrafas de vidro, 14 cabos de energia, duas churrasqueiras, dez carrinhos, duas mesas de som, dois amplificadores, quatro caixas de som, botijões, grelhas, entre outros.

Também foram aplicadas 540 multas, sendo a maioria por estacionamento irregular, 1.363 ambulantes irregulares removidos e 179 veículos rebocados. Além disso, 19 pessoas foram detidas e conduzidas à delegacia por diversos motivos como: furto a pedestre e desacato aos agentes na hora da abordagem. Houve ainda o registro de uma criança perdida, que foi devolvida aos responsáveis.

 

Agentes da Seop e da Guarda Municipal atuaram em toda a orla de Copacabana – Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

 

Saúde

A estrutura montada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) na orla de Copacabana, com quatro postos médicos, atendeu 469 pessoas das 17h30 do dia 31 até as 5h do dia 1°. A maioria dos pacientes sofreu traumas (cortes, quedas, pancadas) ou mal-estar, muitos devido à excessiva ingestão de bebidas alcoólicas. Sessenta pacientes precisaram ser transferidos para hospitais da rede.

Cerca de 300 profissionais estiveram envolvidos na estrutura de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem funcionários operacionais/administrativos dos postos, maqueiros e equipes das 30 ambulâncias, compostas por médicos, enfermeiros e motoristas. As unidades de referência para receber os pacientes transferidos — Miguel Couto/CER Leblon, Souza Aguiar/CER Centro, Salgado Filho e Lourenço Jorge — tiveram incremento no número de médicos.

 

Quatro postos de saúde foram instalados em Copacabana para atender o público – Marcelo Piu-Prefeitura do Rio

 

Comlurb

O Réveillon em todos os pontos oficiais de festas no Rio de Janeiro gerou 892 toneladas de resíduos. Só em Copacabana, palco principal da festa na cidade, foram 444,5 toneladas, quase a metade do total coletado na cidade. As quantidades incluem os resíduos coletados na pré-limpeza do dia 31/12 de preparação das festas, que foi o total de 27,9 toneladas, sendo 17,2 apenas em Copacabana. Os números são superiores aos de 2020, última grande festa de Réveillon antes da decretação da pandemia, quando foram coletadas 762 toneladas de resíduos, sendo 351 toneladas só em Copacabana.

Depois de Copacabana, o evento que acumulou mais resíduos foi na Barra da Tijuca, 137,2 toneladas. Ipanema, Leblon e São Conrado contabilizaram 75,3 toneladas de lixo. No Aterro do Flamengo foram 56,3 toneladas. Em seguida em quantidade vêm Recreio (52,9 toneladas), Ilha do Governador (38,9 toneladas), Botafogo / Urca (23,2 toneladas) e Paquetá (20,5 toneladas).

A Companhia atuou com 4.456 garis distribuídos em todos os pontos de festejo, com o apoio de 171 caminhões, entre compactadores e basculantes, 20 pipas d ́água para lavagem das vias com água de reuso, e mais 67 equipamentos, como pás mecânicas, mini pás, varredeiras de médio porte e tratores de praia com implementos traseiros para peneiramento da areia.

Foram disponibilizados 2.000 contêineres de 240 litros e 1.000 caixas metálicas de 1.200 litros, em todos os pontos de festa, sendo metade em Copacabana. A operação especial de réveillon em Copacabana teve início no dia 31/12, com a pré-limpeza para a festa, com ações em toda a extensão da Av. Atlântica, incluindo o calçadão dos prédios, as pistas e as vias de acesso, com 376 garis, com apoio logístico de caminhões compactadores e vans.

A Companhia ainda manteve quatro pontos de apoio logístico e coleta seletiva: entre as Ruas Francisco Sá e Souza Lima, em frente à Rua Santa Clara, em frente à Avenida Prado Júnior, e em frente à Rua Anchieta. Alguns garis atuaram ainda na limpeza de postos médicos instalados para a festa em Copacabana: na Rua Duvivier (Praça do Lido), na Rua República do Peru, na Rua Santa Clara, e entre as Ruas Xavier da Silveira e Bolívar.

 

A Comlurb recolheu 892 toneladas de resíduos em toda a cidade – Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

 

CET-Rio

A CET-Rio informa que os bloqueios do trânsito em Copacabana foram executados no horário do planejamento. Às 5h da manhã deste domingo, a entrada no bairro foi liberada como previsto. Às dez horas, a pista das edificações da Avenida Atlântica foi aberta no sentido Leme. A da orla continuará interditada para área de lazer até às 18h, como sempre ocorre aos domingos e feriados.

Assistência Social

A Secretaria Municipal de Assistência Social realizou 720 atendimentos a crianças e adolescentes nos 13 postos distribuídos pela cidade, no período de 16h do dia 31 de dezembro até as 6h do dia 1 de janeiro. O serviço mais procurado foi o de identificação de crianças e adolescentes. Também foram realizados acolhimento e combate ao trabalho infantil. No total, estiveram envolvidos na Operação Réveillon em Copacabana 125 profissionais, como assistentes sociais, psicólogos, pedagogos e educadores sociais.

Secretaria de Políticas e Promoção da Mulher

Não foi realizado nenhum tipo de atendimento no posto de acolhimento, montado pela Secretaria de Políticas e Promoção da Mulher na escola municipal Doutor Cícero Penna (Avenida Atlântica, 1.976), para mulheres vítimas de violência durante a festa de Réveillon, em Copacabana. Assim como nenhum registro foi feito através do programa Tem Saída 24h!, via 1746.

Skip to content