Prefeitura prepara decreto para revogar texto que proíbe feiras de artesanato na cidade

Publicado em 18/09/2019 - 20:56 | Atualizado em 21/11/2019 - 10:53
Expositores de feiras de variedade e artesanato participam de reunião na PrefeituraExpositores de feiras de variedade e artesanato participam de reunião na Prefeitura. Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

Uma comissão formada por cinco representantes de organizadores de feiras de variedade e artesanato e cinco expositores foi recebida nesta quarta-feira (18/09) pelo secretário Municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel, e pelo chefe de gabinete da Subsecretaria de Eventos, Cadu Albuquerque, para juntos discutirem a revogação do decreto 18.818/2000, que proíbe esse tipo de comércio nas ruas da cidade.

Nesta quinta-feira (19/09), o secretário entregará ao prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, a proposta de um novo decreto, revogando o anterior e criando um grupo de trabalho que ajudará na elaboração de regras para as feiras. Os integrantes terão 45 dias para formular o texto da futura legislação.

Ficou acordado que, durante este período, as feiras funcionarão em 34 praças da cidade, em sistema de rodízio. Toda as regiões do município serão contempladas. Entre os endereços sugeridos, foram incluídas áreas consideradas ociosas e, com a montagem das barracas, poderão ser revitalizadas.

– Nossa ideia é pegar um local que esteja abandonado, que não tem comércio por perto, e transformá-lo num point do bairro, melhorando a segurança e levando entretenimento aos moradores. Nesses 45 dias já faremos um teste em praças de cada região da cidade, como a da Cruz Vermelha, no Centro, e a Mauro Duarte, em Botafogo. O prefeito é nosso aliado e quer resolver esta situação o quanto antes – disse Felipe Michel.

Kelly Cristina, organizadora da feira Moda Arte Rio, ficou satisfeita com o resultado da reunião.
– Estamos em sintonia. Já tínhamos planejado derrubar este decreto e construir um novo decreto. Sugerimos 34 pontos para abrigarmos as feiras durante este período e aguardamos a decisão do prefeito para voltarmos a trabalhar.