Prefeitura continua atuando na região da Muzema

Publicado em 14/04/2019 - 11:54 | Atualizado em 15/04/2019 - 10:41
MuzemaMuzema. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio
Confira o balanço das ações dos órgãos municipais na área onde dois prédios construídos irregularmente, em loteamento clandestino,caíram na sexta-feira:
GUARDA MUNICIPAL – A Guarda Municipal do Rio atua neste domingo (14/04) com 38 guardas municipais nas ações de isolamento da área onde ocorreu o desabamento na Muzema e no controle de trânsito na Estrada de Jacarepaguá e vias de acesso ao local. As equipes prestam apoio aos moradores e ao trabalho de resgate realizado pelo Corpo de Bombeiros e por técnicos da Geo-Rio e da Defesa Civil Municipal, controlando o acesso para priorizar a circulação dos veículos de serviço e socorro.
SAÚDE – A Secretaria Municipal de Saúde mantém base avançada de apoio montada em um imóvel próximo ao local do desabamento, neste domingo (14/04), com 14 profissionais, incluindo três psicólogas. Os profissionais estão dando o primeiro atendimento aos parentes dos desaparecidos que acompanham o resgate, e também aos bombeiros que precisem de assistência durante os trabalhos. Além de distúrbios causados pelo estresse emocional, muitas pessoas têm precisado de atendimento devido ao calor e a episódios de pressão alta.

Situação dos pacientes que ainda estão nos hospitais municipais:

Hospital Municipal Lourenço Jorge

– Mulher, 35 anos, permanece grave no CTI

Hospital Municipal Miguel Couto

– Homem, 46 anos, permanece em observação com quadro estável

– Mulher, 44 anos, permanece internada no CTI com quadro estável, porém delicado

– Menino, 4 anos, permanece internado com quadro estável, porém delicado

SECONSERVA – A Secretaria de Conservação está em prontidão na região da Muzema, no Itanhangá. A equipe de Coordenação de Operações Especiais (COE) aguarda a liberação do Corpo de Bombeiros para que possa começar a retirar os escombros e executar as demolições recomendadas pela Prefeitura do Rio. São duas retroescavadeiras e dois tratores à disposição para que os serviços sejam iniciados. A Fundação Rio-Águas também enviou equipamentos para auxiliar na remoção: uma retroescavadeira, um caminhão basculante e uma escavadeira hidráulica. Equipes da Seconserva também estão atuando no entorno do local do acidente, na Estrada de Jacarepaguá, aterrando aquele ponto da via, de cota mais baixa e mais suscetível a inundações.

Uma das vítimas, Cláudio José de Oliveira Rodrigues, foi enterrada neste domingo (14/04) no Cemitério do Pechincha, com auxílio da Coordenadoria Geral de Cemitérios e Serviços Funerários, subordinada à Secretaria de Conservação. Em relação à família do Maranhão vítima do desabamento, a Coordenadoria Geral acionou a concessionária RIO PAX, através de seu diretor-presidente, Geraldo Magela Monge, que ofereceu a possibilidade de executar os serviços funerários e de traslado dos corpos para seu estado de origem.

A Coordenadoria Geral de Cemitérios e Serviços Funerários presta serviços cemiteriais funerários às famílias que perdem os entes em catástrofes na cidade do Rio, buscando garantir tratamento digno e oferecer acolhimento. Todos os custos são cobertos pelo município, em parceria com as concessionárias, cemitérios particulares e funerárias permissionárias.  Também disponibiliza capela e cerimônia, se assim a família da vítima desejar.

COMLURB – A força-tarefa da Comlurb na Comunidade da Muzema já coletou os grandes acumulados de terra, lama e bens inservíveis.  Neste domingo (14/04), estão sendo feitas a raspagem mais fina de alguns pontos e a lavagem das vias. O esforço maior segue na Tijuquinha, para que o acumulado mais pesado seja resolvido logo. A Companhia segue na região do Itanhangá durante todo o domingo, com 80 garis, 16 caminhões basculantes e três pás carregadeiras. A Companhia já removeu cerca de 2.150 toneladas de lama, terra e bens inservíveis, até a manhã deste domingo. A operação está se estendendo ainda às comunidades Gardênia e Rio das Pedras.

ASSISTÊNCIA SOCIAL – Além das 58 famílias atendidas, a SMASDH prestou atendimento a 176 vizinhos e familiares que buscaram informações sobre os incidentes na Muzema ou ajudaram na identificação das vítimas. Não houve acolhimento institucional, pois as famílias desabrigadas estão em casas de parentes e amigos. Os trabalhos continuam neste domingo (14/04), com duas bases de atendimentos, onde a equipe da SMASDH, formada por assistentes sociais e psicólogos, estão a postos para atendimento, seguindo o plantão de 24 horas desde as primeiras horas após o ocorrido. A equipe que está no IML dá assistência às famílias das nove vítimas fatais.

DEFESA CIVIL – A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), informa que atua, neste terceiro dia após o incidente, com cinco técnicos e engenheiros no atendimento às emergências na região da Muzema. Os esforços da equipe, neste momento, são de auxílio ao trabalho do Corpo de Bombeiros na localização de possíveis vítimas. Ao todo, 13 interdições emergenciais foram realizadas no local.