Chuva: aulas nas escolas da rede pública municipal estão suspensas nesta terça

Publicado em 09/04/2019 - 01:10 | Atualizado em 09/04/2019 - 01:15
Na sala de crise do COR, prefeito Crivella se reúne com assessores para monitorar ações após temporalNa sala de crise do COR, prefeito Crivella se reúne com assessores para monitorar ações após temporal - divulgação

Crivella destaca planejamento e ações para reduzir impacto do temporal da noite de segunda-feira

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou a suspensão das aulas nas escolas da rede pública municipal nesta terça-feira. Reunido com secretários e assessores na sala de crise do Centro de Operações Rio (COR) para comandar as ações de reação dos órgãos municipais ao forte temporal que atingiu a cidade na noite desta segunda, 8 de abril, Crivella destacou o planejamento e as iniciativas da Prefeitura que evitaram perdas de vidas em meio à chuva atípica e muito acima do volume esperado.

– Tocamos 34 sirenes em 21 comunidades, as pessoas foram alertadas a tempo, e não tivemos vítima nenhuma até agora. Todas as nossas equipes ficaram de alerta, e todos nós estamos também controlando a cidade por cameras, no COR. Tivemos alagamentos e mandamos equipamentos para diversos pontos da cidade: Mergulhão Billy Blanco, Avenida das Américas, Armando Lombardi, Abelardo Bueno, Praça Sibélius, Jardim Botânico. E tivemos bolsões também por toda a Zona Sul. A gente teve uma chuva forte, de 152mm, nas últimas quatro horas, na Rocinha, e 162mm em Copacabana. Isso é uma chuva completamente atípica. A gente sempre tem previsão de chuva forte, mas não assim. A gente teve 152mm em quatro horas, mais do que a média de abril inteiro.

Crivella destacou também que a Prefeitura mantém contato com o Corpo de Bombeiros para fazer o atendimento em episódios como quedas de árvores e falta de luz, porque é preciso que a rede elétrica seja desligada para os funcionários dos órgãos municipais agirem nesses casos.

– É muito difícil, quando a chuva é forte como foi esta noite, que a gente consiga evitar todo esse caos, mas a Prefeitura está atenta, com todas as suas equipes na rua – acrescentou o prefeito.

Fechamento da Niemeyer e outras providências

O planejamento para fechar vias que representam risco – e que em outras ocasiões registraram inicidentes graves na chuva – também foi um ponto destacado por Crivella:

– Tivemos o planejamento de fechar o Alto da Boavista, fechar a Avenida Niemeyer. Nós tivemos um desabamento lá (na Niemeyer) e não tivemos vítimas. Isso tudo graças ao planejamento da Prefeitura – ressaltou.

Para a terça-feira, dia seguinte ao temporal, Crivella fez recomendações aos moradores da cidade:

– A recomendação é que se evite a Avenida Niemeyer. Vamos trabalhar a madrugada toda lá, mas é bem provável que pela manhã ela ainda não esteja liberada, e sim só na parte da tarde. A Linha Amarela deve estar liberada, a Linha Vermelha também, na Avenida Brasil não tivemos muitos problemas, e esses são os eixos principais da cidade. As pessoas deve evitar sair esta noite, o trânsito está caótico, sobretudo na Zona Sul, com vários alagamentos. Mas amanhã devem funcionar normalmente o metrô, a rede de trens e as linhas de ônibus que trazem a população da Zona Oeste ao Centro da cidade. Na Grajaú-Jacarepaguá não tivemos problemas, de tal maneira que a Zona Sul é que deve  ser evitada amanhã, sobretudo aqueles que usam a Niemeyer.

Toda a Prefeitura trabalhando para minimizar os efeitos da chuva

Crivella reafirmou que os órgãos municipais estão trabalhando firmemente para devolver a normalidade à cidade após o temporal:

– Toda a Prefeitura está mobilizada: Rio-Águas, Rioluz, Conservação, Comlurb, Cet-Rio, Guarda Municipal e Geo-Rio também. Esperamos que durante toda a noite a gente consiga contornar todos os nossos incidentes. Certamente a água vai escoar, vamos rebocar os carros que não puderem ter o motor acionado e amanhã o trânsito estará liberado – informou o prefeito.