RioZoo entra em nova fase e revitalizará projeto do zoomóvel

Publicado em 22/03/2019 - 17:16 | Atualizado em 24/03/2019 - 20:49
Fachada da Fundação RioZooFoto: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

Com mais de 30 anos de serviços prestados à cidade do Rio de Janeiro, a Fundação RioZoo vive nova fase.

“Estamos revitalizando o projeto educacional do zoomóvel, que terá nova proposta e programação visual. O zoomóvel irá até escolas públicas e comunidades, levando educação ambiental e conscientização sobre a importância dos animais”, afirma a presidente da Fundação, Suzane Therezinha Dinelli Rizzo.

Restauração RioZoo
Foto: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

Em parceria com universidades públicas, a instituição também está expandindo seus projetos educacionais de preservação de animais selvagens, com a reintrodução de espécies como jacarés e capivaras em seu habitat natural, garantindo correto atendimento e tratamento.

Além disso, a RioZoo tem como missão garantir o bom desenvolvimento das reformas e da concessão por 35 anos do Jardim Zoológico do Rio de Janeiro para uma empresa privada, o Grupo Caratas, que também administra o Parque Cataratas do Iguacu. “Teremos o zoológico mais bonito do Brasil no Rio”, diz a presidente.
Primeiro zoológico do Brasil

Restauração RioZoo
Foto: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

“A Fundação tem uma função educacional, preservacionista e também de garantir a qualidade do bem estar dos animais durante as obras do novo zoológico”, explica Suzane Rizzo, veterinária que trabalhou como estagiária na RioZoo e retornou para a casa recentemente.

A reforma do zoológico, iniciada em junho de 2016, entregará um atração moderna e alinhada com os parques mais avançados do mundo. Será instalado um novo sistema de enclausuramento, que evita o uso de grades, melhorando a experiência do público e provendo um ambiente adequado para os animais.

“O zoológico do Rio é o primeiro do Brasil. Ele faz parte de um projeto mundial chamado Arca de Noé, que conserva óvulos e tecidos para a preservação de espécies em extinção e em vias de extinção. O Rio de Janeiro continua na vanguarda”, diz a veterinária.