Prefeitura promove a contratação de mulheres em situação de violência doméstica em parceria com o setor privado

Publicado em 14/10/2021 - 17:53 | Atualizado em 14/10/2021 - 17:57
Projeto Novos Rumos - Divulgação / Prefeitura do Rio

Lançado há um mês pela Prefeitura do Rio, o Projeto Novos Rumos, que tem como objetivo inserir mulheres em situação de violência doméstica no mercado de trabalho formal, chega à segunda etapa com o apoio de sete empresas. A cerimônia para a assinatura do Termo de Compromisso, que garante a oferta de vagas de trabalho ao público-alvo, aconteceu nesta quinta-feira (14/10), na Cidade das Artes.

O programa é uma iniciativa da Secretaria de Trabalho e Renda em parceria com o Tribunal de Justiça do Rio (TJRio) e a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Mulher. As empresas parceiras são: Abry Gastrobar, Bee Jobs, Grupo Carrefour, Casa & Vídeo, DASA – Diagnósticos da América, Hortifruti e Multi Service RH.

As candidatas, encaminhadas pelo TJRio e pela Secretaria da Mulher, passarão por um curso de capacitação promovido pela Secretaria de Trabalho e Renda. O projeto prevê ainda a entrega de um selo de responsabilidade social para as empresas parceiras que alcançarem, no período de 12 meses, o número mínimo de contratações.

 

– Hoje damos um grande passo no enfrentamento à violência contra a mulher ao assinar o Termo de Compromisso com as empresas parceiras. Nossa missão aqui é oferecer uma ou mais alternativas, permitindo que essas mulheres saiam do ciclo de violência dentro do lar”, destaca o secretário de Trabalho e Renda, Sérgio Felippe.

 

Secretária de Políticas de Promoção da Mulher, Joyce Trindade destaca que esse é um projeto importante na luta pelo fim da violência contra a mulher.

 

– Já indicamos mulheres acompanhadas nos equipamentos da Secretaria da Mulher para as vagas oferecidas, pois a conquista da autonomia financeira é um dos passos mais importantes no rompimento do ciclo de violência doméstica e familiar. Por isso, parabenizo às empresas parceiras e faço votos que mais e mais empresas se juntem a essa luta coletiva pela vida das mulheres.

 

A juíza Elen de Freitas lembra que a violência contra a mulher ocorre em todas as classes sociais:

 

– A violência doméstica atinge milhares de pessoas independente da classe econômica. É uma violação aos direitos humanos. Precisamos dar condições para que essas mulheres possam romper o ciclo. O projeto traz uma perspectiva real de mudança por meio da autonomia financeira.

 

Também participaram do evento o deputado estadual Jorge Felippe Neto, a presidente da Riotur, Daniela Maia, a subsecretária de Programas e Ações Temáticas da Secretaria da Mulher, Lidiane de Paula, a coordenadora técnica da pasta para Enfrentamento à Violência, Danielle de Sousa, e a subprefeita de Jacarepaguá, Thalita Galhardo.