Seop remove 11 veículos em estado de abandono usados como depósitos de mercadorias na Zona Sul

Publicado em 16/03/2020 - 16:00 | Atualizado em 18/03/2020 - 10:37

Foram encontrados automóveis sem motor e com licenciamento vencido há uma década

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) removeu, na manhã desta segunda-feira, dia 16, em Copacabana, Leme e Ipanema, na Zona Sul, 11 veículos em estado de abandono (com pneus vazios, sem placas e até sem motor) que serviam como depósitos de mercadorias. As remoções foram feitas pela Coordenadoria de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques (Cfer), em conjunto com o Rio+Seguro – programa da Prefeitura do Rio de apoio à segurança pública -, que conta com agentes da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Durante a ação, outros 17 veículos foram rebocados por estacionamento irregular, totalizando 28 remoções.

Entre os abandonados estão uma kombi, na Rua Aires de Saldanha, usada como depósito de cadeiras de praia, guarda-sóis, isopores e outros itens; e um caminhão de gelo, na Avenida Vieira Souto, que estava sem motor e com o licenciamento atrasado desde 2010. O responsável também estava sem o documento e a chave do automóvel.

A operação foi feita com base no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e no decreto nº 36.805 de 2013, que dispõe sobre a retirada de veículos sucateados ou abandonados (classificados de acordo com os sinais de deterioração) das vias da cidade. Além de ocupar vagas de estacionamento e potencializar a sensação de insegurança, esses carros representam riscos à saúde pública, podendo se tornar focos de doenças devido ao acúmulo de lixo e de água parada.

Pelo decreto, para o veículo ser considerado abandonado deve apresentar uma das seguintes características: ausência de pelo menos uma placa de identificação; evidente estado de decomposição da carroceria e partes removíveis, aí incluindo pelo menos dois pneus arriados; e visível mau estado de conservação, carroceria com sinais de colisão, vandalismo ou depreciação voluntária, ainda que coberto com capa de material sintético. Nesses casos, o proprietário tem até 60 dias para retirar o veículo do depósito. Passado esse prazo, o bem pode ser levado a leilão.

Já nos casos dos sucateados (classificados ainda como irrecuperáveis, carcaças ou sucatas pelo decreto), a remoção é feita pela Comlurb. O cidadão pode denunciar esse tipo de ocorrência pela Central 1746 (canal de atendimento da Prefeitura do Rio).

Serviço – Os veículos foram levados para o depósito de São Cristóvão (na Avenida Pedro II, 67), que funciona diariamente (incluindo fins de semana e feriados), das 8h às 17h. Mais informações no site da Seop: http://www.rio.rj.gov.br/web/seop/exibeconteudo?id=6840042.