Prefeitura fiscalizou 172 estabelecimentos e ambulantes em dois dias de ações em áreas comerciais da Zona Oeste

Publicado em 12/06/2020 - 13:26 | Atualizado em 12/06/2020 - 13:27
Fiscalização contra aglomeração na Zona Oeste. Foto: Divulgação Seop / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), fiscalizou 172 estabelecimentos e ambulantes em sete bairros da Zona Oeste em dois dias consecutivos de ações conjuntas na região, que representa mais de 55% dos atendimentos do Disk Aglomeração. Entre os estabelecimentos fiscalizados (60 ao todo), 20 foram fechados ou multados pelas equipes. Já os ambulantes (112 irregulares) foram orientados a se retirar. Ontem, quinta-feira, 11/06, feriado de Corpus Christi, a força-tarefa percorreu Realengo, Padre Miguel, Taquara e Anil, e na quarta-feira, Campo Grande, Bangu e Santa Cruz.

De acordo com levantamento do Disk Aglomeração, no período de 31 de março a 4 de junho, a Zona Oeste contava com oito bairros no ranking dos 12 mais demandados pelo serviço. Juntos, Campo Grande, Bangu, Realengo, Barra da Tijuca, Santa Cruz, Taquara, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá compreendiam 4.837 das 8.661 ocorrências atendidas até a data, ou seja, 55,8% das demandas. O serviço é baseado em chamados registrados na Central 1746 e tem como foco a dispersão de pessoas em comércios e áreas públicas de lazer para evitar a propagação da Covid-19.

Já a força-tarefa de combate à pandemia coordenada pela Seop (com profissionais da Subsecretaria de Operações da pasta, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Fazenda, Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Comlurb) fiscaliza somente estabelecimentos e ambulantes. Os agentes verificam se eles podem funcionar e se estão cumprindo medidas higiênico-sanitárias, entre outros cuidados para conter aglomerações e proteger a população do risco de contaminação. Atividades de ambulantes irregulares e estabelecimentos não essenciais estão sendo devidamente interrompidas.

Balanço detalhado

Na ação desta quinta (11/06) em Realengo, Padre Miguel, Taquara e Anil, foram fechados cinco dos nove estabelecimentos fiscalizados, e apreendidos com ambulantes irregulares 321 itens (como pacotes de cigarro, cervejas em garrafas de vidro – o que é proibido – e em latas, garrafas de água, refrigerantes, dois carrinhos e dois freezers, churrasqueira, carrocinha e garrafa térmica) e 33 kg de biscoitos e doces. Ao todo, 15 ambulantes foram orientados a se retirar, e a maioria das lojas e quiosques estava fechada (41). Durante a operação, um adolescente foi apreendido em flagrante após furtar itens em uma farmácia na Rua Paulo Corrêa de Sá, em Padre Miguel. O caso foi registrado na 35ª DP (Campo Grande), Central de Flagrantes no dia.

Já na quarta-feira (10/06), na ação em Campo Grande, Bangu e Santa Cruz, 97 ambulantes foram orientados a encerrarem suas atividades, e 51 estabelecimentos foram fiscalizados, com 11 multados e quatro quiosques fechados por falta de documentação obrigatória. No roteiro, os agentes contabilizaram 233 estabelecimentos fechados e 68 estabelecimentos abertos de acordo com o decreto municipal de enfrentamento ao coronavírus. Em Bangu, um hortifrúti foi multado por ocupar indevidamente a calçada. Em Santa Cruz, quatro food trucks foram orientados a fechar. Ainda como resultado da ação, a Comlurb recolheu 350 quilos de resíduos sólidos das ruas.

Números gerais

Em mais de dois meses de ações diárias em toda a cidade, a Seop registrou 27.728 estabelecimentos fiscalizados, com 20.139 pontos comerciais fechados, de 18 de março a 10 de junho. Já as equipes do Disk Aglomeração atenderam, até a data, 9.297 ocorrências. Os dez bairros mais demandados são: Campo Grande, Realengo, Bangu, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Taquara, Tijuca, Centro, Copacabana e Recreio dos Bandeirantes.