Prefeitura faz operação de ordenamento e acolhimento na Avenida Brasil

Publicado em 30/11/2022 - 10:15 | Atualizado
Foi recolhida cerca de uma tonelada de entulho e lixo na operação - Hector Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, sob a coordenação da Secretaria de Ordem Pública (Seop), realizou, na madrugada desta quarta-feira (30/11), uma operação conjunta de acolhimento e ordenamento urbano nas estações do BRT em frente às comunidades de Parque União e Nova Holanda, na Avenida Brasil, e nas imediações. Foi necessário o fechamento da pista central da via, no sentido Zona Oeste.

Na ação, foram abordadas dez pessoas em situação de rua, mas nenhuma aceitou acolhimento e a maioria das pessoas que ali estavam saiu rapidamente com a chegada das equipes. Também foram apreendidas pelos agentes 15 facas, 11 chaves de fenda, cinco navalhas, sete tesouras, um serra, uma máquina de furar, além de misturadores de entorpecentes, cordões e até uma cápsula de fuzil e uma capa de colete balístico.  Um homem foi conduzido para a 21ª DP para verificação de antecedentes criminais. Foi recolhida cerca de uma tonelada de entulho e lixo.

– A gente vinha recebendo várias denúncias sobre a ocupação irregular nessa estação do BRT, na altura da Maré, e programamos essa operação em conjunto com outros órgãos da Prefeitura. Tivemos uma grande quantidade de itens apreendidos, materiais esses que muitas vezes servem para cometimento de furtos de cabos, de depredações e vandalismos. Essa foi uma ação para recuperar essa estação, para trazer ordem pública e segurança e colocar a população sempre em primeiro lugar, trazendo mais dignidade para as pessoas que usam o BRT – explicou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

A ação contou também com agentes da Guarda Municipal, da Secretaria de Assistência Social, do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, da Comlurb e da Subprefeitura da Zona Norte.

– Temos a urgente necessidade de tratar as ações de abordagem em dois vértices distintos: um para os moradores em situação de rua por questões sociais, econômicas que devem ser tratados pela secretaria de Assistência Social; e outro para os usuários e dependentes de substâncias químicas, que necessitam de um olhar muito mais sensível e devem ter um acompanhamento da Secretaria de Saúde. Esse olhar analítico traria um enorme benefício à cidade e um tratamento muito mais digno e humano a essas pessoas que necessitam de ajuda e de carinho – acrescentou o subprefeito da Zona Norte, Diego Vaz.

  • 30 de novembro de 2022
  • Skip to content