“Blitz da Vida” da Prefeitura já fiscalizou cerca de 400 pontos comerciais e acolheu quase 100 pessoas em situação de rua no Centro da cidade

Publicado em 09/09/2020 - 12:19 | Atualizado em 09/09/2020 - 12:23
Ao todo, oito veículos também foram autuados e removidos por estacionamento irregular. - Foto: Divulgação/ Seop

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), realiza, nesta semana, mais uma “Blitz da Vida” no Centro da cidade, a primeira região a receber projeto que alia ordenamento urbano e outras medidas preventivas de combate à pandemia de Covid-19Esta é a terceira semana da operação no bairrototalizando 398 fiscalizações e orientações a estabelecimentos comerciais e ambulantes, e 286 abordagens a pessoas em situação de rua, com 98 acolhimentos.

Nesta semana, a força-tarefa, com a participação de diversos órgãos municipais, atua no Centro desde ontem, terça-feira, dia 08/09quando 20 estabelecimentos e 50 ambulantes foram fiscalizados. Destes, cinco estabelecimentos foram autuados após inspeção sanitária, e 17 ambulantes não autorizados foram orientados a se retirar do logradouro público. A ação resultou ainda em 28 abordagens a pessoas em situação de rua, com dois acolhimentos. Oito veículos também foraautuados e removidos por estacionamento irregular no roteiro, que contemplou a Cinelândia, praças Mahatma Gandhi e Virgílio de Melo Franco, ruas do Passeio, Pedro Lessa, Senador Dantas, Araújo Porto Alegre e Santa Luzia, e as avenidas Treze de Maio, Churchill e Franklin Roosevelt.

Balanço geral da “Blitz” no Centro – Em duas semanas, de 21/07 a 24/07 e de 31/08 a 03/09a atuação da “Blitz” no Centro totaliza 98 pessoas em situação de rua acolhidas entre as 286 abordadas, 39comércios fiscalizados e orientados: 219 estabelecimentos e 179 ambulantes. Houve ainda na distribuição de mais de 700 máscaras; 143 infrações de trânsito, entre elas 89 para vans e kombis do transporte complementar de passageiros e 41 por estacionamento irregular, com 40 veículos removidos; corte de 23 ligações clandestinas de energia elétrica; e retirada de quase 15 toneladas de resíduos sólidos. Os agentes percorreram pontos de grande movimentação de pessoas, como a Central do Brasil, Cinelândia, largos da Carioca e de São Francisco da Prainha, Lapa, praças XV e Mauá, Saara, Rua Uruguaiana, entornos do Terminal Menezes Côrtes e da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj)e as ruas São José, da Quitanda, do Mercado e Sete de Setembro, entre outras.

Balanço geral da “Blitz” na cidade – Em sete semanas, de 21/07 a 03/09, a “Blitz da Vida” já resultou em 1.524 fiscalizações e orientações a estabelecimentos comerciais (730) e ambulantes (794), e 706 abordagens a pessoas em situação de rua, com 180 acolhimentos. A força-tarefa contabiliza mais de 400 multas de trânsito por diversas irregularidades, com 181 veículos removidos por estacionamento irregular; e retirada de mais de 38 toneladas de resíduos sólidos. O levantamento corresponde à atuação em dez bairros: Centro, Copacabana, Ipanema, Leblon, Campo Grande, Santa Cruz, Tijuca, Freguesia de Jacarepaguá, Taquara e Praça Seca.

Outros números – Desde o início das ações de combate à pandemia, em 18 de março, a Seop integrou mais de 570 operações conjuntas em toda a cidade. Até 7 de setembro, foram fiscalizados 38.738 estabelecimentos, com 28.087 pontos comerciais fechados. Além disso, foram atendidas 11.364 ocorrências pelo Disk Aglomeração, que funciona desde 31 de março com base em chamados à Central 1746.

Órgãos – As ações conjuntas são planejadas pela Subsecretaria de Operação (Subop) da Seop e contam, de acordo com a necessidade operacional, com efetivos da Guarda Municipal, e das coordenadorias de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques (Cfer), Especial de Transporte Complementar (CETC) e de Cuidado e Prevenção às Drogas (CPD), ligadas à pasta; Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano (da Secretaria Municipal de Fazenda); Subsecretaria de Vigilância Sanitária (da Secretaria Municipal de Saúde); Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos; Comlurb; Cedae; Light; Rioluz; e Polícia Militar.