Bar irregular que havia sido demolido em fevereiro volta a ser derrubado pela Prefeitura do Rio

Publicado em 22/08/2022 - 15:24 | Atualizado em 08/09/2022 - 11:52
O bar já tinha sido demolido no início do ano - Prefeitura do Rio

A Secretaria de Ordem Pública e a Subprefeitura de Jacarepaguá realizaram, nesta segunda-feira (22/8), mais uma operação de demolição de construção irregular em Rio das Pedras. Dessa vez, o alvo da operação foi um bar com duas construções, totalizando 500m2 em área pública e na margem do canal, o que impedia a limpeza e dificultava a circulação de pedestres. Além da construção ilegal, o estabelecimento também realizava shows com música alta, que já causaram várias reclamações por perturbação do sossego. O proprietário foi notificado previamente.

O imóvel já havia sido demolido em fevereiro deste ano e foi mais uma vez construído irregularmente, em total desobediência à ação do poder público. Foram apreendidos banheiros químicos usados como depósito, dez caixas de som de alta potência, uma mesa de som com amplificador, além de dezenas de mesas e cadeiras.

– Essa é mais uma operação de demolição que a Seop faz aqui no Rio de Janeiro. É importante destacar que essa construção fica às margens de um canal, o que prejudica a limpeza, a fluidez da água e acaba causando transtorno para a população quando chove. Essa construção já foi derrubada pela Prefeitura em fevereiro deste ano e os responsáveis insistiram em voltar a construir. Por isso estamos novamente fazendo essa operação de demolição. É um recado muito claro que não iremos tolerar as construções irregulares. Essa é uma área que, infelizmente, sofre influência do crime organizado, mas seguiremos incansavelmente fazendo esse trabalho de combate às construções irregulares e de asfixia do braço financeiro do crime organizado aqui no Rio de Janeiro – destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

A subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo, ressaltou a importância da ação.

– O funcionamento do bar é um absurdo. Ele sempre incomodou os moradores com som alto durante a noite toda e funcionamento até o amanhecer. Não podemos permitir que o ilegal continue. Os proprietários estão avisados, se construírem novamente, vamos demolir mais uma vez – afirmou.

Também participaram da demolição a Coordenadoria Técnica de Operações Especiais (Coope), Secretaria de Conservação, Guarda Municipal, Comlurb, Rioluz, Cedae, Coordenadoria de Controle Urbano, Light, além de apoio da Polícia Militar.

  • 22 de agosto de 2022
  • Skip to content