Prefeitura interdita clube na Zona Sul e fábrica de pizza na Zona Norte

Publicado em 24/08/2020 - 08:10 | Atualizado
Fiscais da Vigilância Sanitária flagram aglomeração e música ao vivo em estabelecimento da Glória. Já em Parada de Lucas, equipe encontrou pizzaria clandestina em péssimas condições higiênico-sanitáriasFiscais da Vigilância Sanitária flagram aglomeração e música ao vivo em estabelecimento da Glória. Já em Parada de Lucas, equipe encontrou pizzaria clandestina em péssimas condições higiênico-sanitárias.

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, interditou um clube na Zona Sul e uma fábrica de pizza clandestina na Zona Norte da cidade neste domingo (23/08). No fim da tarde, fiscais da pasta vinculada à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foram atender a um chamado da Central 1746 na Rua Bulhões Maciel, 391, em Parada de Lucas. No endereço denunciado, a equipe constatou péssimas condições higiênico-sanitárias, como vários alimentos vencidos dentro da câmara frigorífica, muita sujeira, além de depósitos de lixo abertos. Por se tratar de local clandestino, não foi possível aplicar infrações. Na ação, os técnicos inutilizaram 470 quilos de produtos impróprios ao consumo.

— A missão da Vigilância Sanitária é proteger e promover a saúde da população, coordenando e executando ações que visam à prevenção e ao controle dos riscos relacionados a produtos e serviços de interesse à saúde e ao meio ambiente. Lembrando que, todos enquanto cidadãos e consumidores, devem saber cobrar seus direitos e também fazer a sua parte, principalmente quando o assunto é saúde pública — ressalta Márcia Rolim, subsecretaria de Vigilância Sanitária.

Interdição de clube na Zona Sul

Na madrugada deste domingo, a equipe de fiscalização da Vigilância Sanitária interditou o clube da Rua Jardel Jercolis, 50, na Glória, onde foram flagradas irregularidades, como  aglomeração, música ao vivo e falta de apresentação de licença sanitária. Por esses motivos, o local recebeu três multas no total de R$ 16.188,13.

Momentos antes, guardas municipais da 9ª Inspetoria (Botafogo) haviam constatado a existência do evento sem autorização e também aplicaram multa por funcionamento fora das condições pré-determinadas. Mesmo após a infração, a organização do clube se recusou a fechar as portas. Os guardas então pediram reforço da Vigilância Sanitária, do Grupamento de Operações Especiais (GOE) da Guarda Municipal e de policiais militares do 2° batalhão, que foram até o local para encerrar o evento.