Cidade do Rio de Janeiro adere à Declaração Cidades com Ar Limpo da C40

Publicado em 09/09/2020 - 16:34 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Cidade do Rio de Janeiro adere à Declaração Cidades com Ar Limpo da C40
A Prefeitura do Rio aderiu à Declaração Cidades com Ar Limpo do Grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima. Foto: Richard Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por ocasião do Dia Internacional do Ar Limpo para um Céu Azul, celebrado no dia 07 de setembro, aderiu à Declaração Cidades com Ar Limpo do Grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima. O Rio se alinha a 36 cidades globais, representando mais de 150 milhões de pessoas, para reconhecer que respirar ar puro é um direito humano e se comprometer com as Diretrizes de Qualidade do Ar da Organização Mundial da Saúde (OMS) até 2030.

Por meio da declaração, a cidade do Rio compromete-se a definir metas de redução de poluição que atendam ou mesmo excedam as metas nacionais, implementando políticas substantivas de ar limpo até 2025 e relatando publicamente seu progresso em direção a essas metas.

Em todo o mundo, nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído. A contaminação atmosférica acarreta em diversas enfermidades como derrames, problemas cardíacos, câncer de pulmão e a complicações respiratórias. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o ar poluído provoca 7 milhões de mortes prematuras todos os anos. Visando o aumento do bem-estar da população carioca, para além da Declaração, a Prefeitura do Rio vem adotando diversas medidas de monitoramento e melhoria da qualidade do ar.

Em 2019, o Rio de Janeiro aderiu à Declaração de Ruas Livres de Combustíveis Fósseis da C40, através da qual se comprometeu a utilizar somente ônibus de zero emissões de carbono nos contratos de concessão assinados a partir de 1º de janeiro de 2025; e a garantir que uma importante área da cidade seja transformada em uma zona de zero emissões até 2030.

Para monitorar a qualidade do ar, o Rio conta com o programa MonitorAr-Rio que afere as quantidades de monóxido de carbono (CO), hidrocarbonetos (HC), entre outros poluentes, de acordo com as regiões da cidade. O MonitorAr-Rio utiliza-se de instrumentos viabilizados através da parceria com a Agência Espacial Americana (Nasa). Os bons resultados do programa servem de exemplo para outras prefeituras ao redor do mundo, como a cidade de Quito, no Equador, que agora também colabora com a NASA para obter melhores análises de qualidade do ar.

As iniciativas citadas estão em consonância com o Plano de Desenvolvimento Sustentável (PDS), que será lançado pela Prefeitura do Rio em dezembro deste ano. O PDS é uma visão de longo prazo alinhada à Agenda 2030 das Nações Unidas e contempla o Plano de Ação Climática, que pretende zerar as emissões de dióxido de carbono e outros gases causadores do efeito estufa até 2050. Esse conjunto de ações reafirma o compromisso da cidade do Rio de Janeiro de alcançar um futuro mais sustentável e resiliente, alinhado com as principais metas globais.