Secretaria do Ambiente e Clima faz megaoperação para derrubar 57 construções irregulares em Realengo

Publicado em 22/12/2022 - 20:47 | Atualizado em 22/12/2022 - 20:47
Ação para demolição de construções irregulares em Realengo - Divulgação

Uma operação conjunta da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria do Ambiente e Clima (SMAC), em parceria com Gaeco, Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), Polícia Militar, Comlurb e Rioluz, demoliu 57 construções ilegais às margens do Rio Catarino, na Rua Francisco Brício, em Realengo, Zona Oeste do Rio.

As construções geminadas tinham fins comerciais, incluindo bares, lava-jato, oficinas, ferro-velho e peixaria, e estavam localizadas ao longo do rio, em faixa não edificante. Todos os estabelecimentos lançavam seus efluentes diretamente na calha do rio e não tinham autorização para ocupação de faixa marginal de curso d’agua.

Para garantir a segurança dos envolvidos na ação, a Polícia Militar teve que ocupar a comunidade do “77”, dominada pelo tráfico. No total, cerca de 70 agentes participaram da ação, que também contou com duas retroescavadeiras e diversos caminhões.

Há suspeita de envolvimento de milicianos, que cobrariam taxas aos comerciantes que atuam ilegalmente no local.

Coordenador de Defesa Ambiental da SMAC, José Maurício Padrone disse que teve uma surpresa positiva, pois muitos responsáveis pelos estabelecimentos ilegais desocuparam e desfizeram os imóveis dentro do prazo estipulado pela Secretaria do Ambiente e Clima.

 

– Antes, os invasores de áreas ambientalmente protegidas rasgavam as notificações na frente dos agentes públicos e não cumpriam as determinações legais, mas hoje a situação mudou muito. A grande maioria dos autos administrativos tem cumprimento na íntegra, sinal do esforço contínuo da Prefeitura e da conscientização da população – disse.

 

Há cerca de 10 dias, os órgãos estiveram no local e emitiram notificações. Na ocasião, duas pessoas foram conduzidas à DPMA.

  • 22 de dezembro de 2022
  • Skip to content