Lab.JUV-Rio vai engajar jovens cariocas nas políticas públicas municipais

Publicado em 12/03/2022 - 14:21 | Atualizado em 12/03/2022 - 14:35
Jovens de 15 a 29 anos participaram da aula inaugural, no Palácio da Cidade - Bernardo Cordeiro/JUVRio

Oitenta jovens cariocas estiveram no Palácio da Cidade, em Botafogo, neste sábado (12/03), para a primeira aula do projeto Laboratório de Inovação para Mediação Sociopolítica da Juventude (Lab.JUV-Rio). A ação é uma iniciativa da Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio) e oferece bolsa de R$ 450 para que os jovens debatam juntos a promoção de políticas públicas e fomentem o novo Plano Municipal de Juventude. No total, serão 25 encontros, que acontecerão sempre aos sábados, no período da manhã, e englobarão o debate da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A primeira edição já começou, logo após a cerimônia de abertura, e teve como tema “A cidade que queremos”. O secretário da Juventude Carioca, Salvino Oliveira, destacou que o projeto chega em um momento ímpar da vida dessa população e busca refletir uma mudança urgente a partir deles.

— Os jovens têm vivido um momento de desilusão e nós desenvolvemos o Lab.JUV-Rio para gerar oportunidades de transformar suas vidas e das pessoas ao seu redor. Nós queremos que os jovens se entendam como agentes da transformação nessa cidade e que compreendam o funcionamento das estruturas de Estado e das políticas públicas, se tornem cidadãos mais conscientes e multipliquem esses conhecimentos — afirmou o secretário da Juventude, Salvino Oliveira.

Sendo parte do programa Geração Transformadora, lançado em agosto de 2021, o Lab.JUV-Rio tem como objetivo ser um espaço de engajamento das juventudes a partir de metodologias e estratégias de mediação sociopolítica para que os jovens cariocas de 15 a 29 anos possam pensar questões globais e locais a partir de suas realidades. Luís Fellipe da Costa Silva, de 17 anos, decidiu se inscrever no Lab.JUV-Rio para ganhar experiência de vida e deseja uma mudança de perspectiva para si e para a Penha, na zona norte, onde cresceu.

— A gente percebe que existem muitos talentos que precisam ser descobertos e as políticas públicas têm que chegar na periferia. Uma sugestão que eu faria hoje seria oferecer mais projetos populares como teatro, balé e esporte para meninos e meninas estarem ocupados e se desenvolverem.

Os encontros acontecerão de forma híbrida, isto é, presencial e online, e os selecionados são de todas as regiões da cidade. O Lab.JUV-Rio será executado em parceria com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds). A coordenadora de projetos do Cieds, Kelly Marques, destacou que firmar parcerias para entregar oportunidades aos jovens é fundamental para engajá-los em uma perspectiva de vida melhor.

— É muito importante para nós executarmos projetos que foquem na juventude, sabendo o cenário que temos hoje potencializado pela pandemia. Os jovens terão como pensar também trabalho, renda e oportunidades a partir do que eles verão no laboratório.

A bolsa-auxílio oferecida aos jovens no valor de R$ 450 terá como objetivo custear a permanência dos alunos no projeto. Para garantir a vaga será dever dos jovens ter o mínimo de 75% de frequência e entregar todas as atividades propostas.

  • 12 de março de 2022