Inscrições para a 3ª edição do Prêmio IPP Maurício de Almeida Abreu seguem abertas até o fim do mês

Publicado em 18/10/2022 - 21:09 | Atualizado em 19/10/2022 - 15:58
  • Início/
  • /
  • Inscrições para a 3ª edição do Prêmio IPP Maurício de Almeida Abreu seguem abertas até o fim do mês
A Praia de Copacabana - Rafael Catarcione / Prefeitura do Rio

As inscrições para a 3ª edição do Prêmio IPP Maurício de Almeida Abreu seguem abertas, e os interessados em participar devem se apressar, pois o prazo termina dia 31 deste mês. O concurso, coordenado pelo Instituto Pereira Passos, da Prefeitura do Rio, faz parte das comemorações do Bicentenário da Independência e irá distribuir prêmios que variam de R$ 6 mil a R$ 18 mil, receberá candidaturas até dia 31 de outubro. O objetivo é premiar as duas melhores teses de doutorado e as duas melhores dissertações de mestrado que promovam uma reflexão sobre o desenvolvimento da cidade do Rio e da Região Metropolitana. Valem trabalhos que abordem aspectos sociais, urbanos, econômicos, políticos, culturais, ambientais, históricos e de patrimônio histórico do município. O anúncio dos vencedores acontecerá em dezembro, e também será concedida menção honrosa ao melhor trabalho que aborde o tema do Bicentenário.

O edital do concurso, publicado no Diário Oficial do município, está disponível para consulta na página https://mauricioabreu-ipp-pcrj.hub.arcgis.com/. É necessário que os trabalhos tenham sido realizados em programas de pós-graduação stricto sensu, reconhecidos pela CAPES, sediados em território brasileiro. Só poderá ser apresentado material em português, defendido de 1º de janeiro de 2019 a 31 de julho de 2022. Serão aceitos estudos de diferentes áreas disciplinares, e cada participante poderá apresentar somente a tese. O primeiro lugar para a categoria doutorado receberá R$ 18 mil e, o segundo lugar, R$ 12 mil. Já o primeiro lugar da dissertação de mestrado receberá R$ 10 mil e, o segundo lugar, R$ 6 mil.

_ É importante realizarmos uma reflexão sobre a cidade do Rio de Janeiro, suas potencialidades, virtudes, problemas e desigualdades. Isso enriquece o debate sobre a cidade e melhora a qualidade das políticas públicas implementadas. O interesse público é o que nos move nesse concurso, mostrando a integridade do nosso trabalho. Já organizamos duas edições do prêmio, e nosso convite é para que todos participem. É uma maneira também de dar publicidade aos trabalhos acadêmicos produzidos durante a pandemia, um período muito problemático para todos. Tenho certeza de que é bastante oportuno tanto para a produção acadêmica como para o interesse público, ao absorver ideias novas trazidas pelos pesquisadores _ ressalta o presidente do Instituto Pereira Passos, Carlos Krykhtine.

Em sua 1ª edição, em 2011, o vencedor do prêmio foi o trabalho de antropologia cultural de Mylene Mizrahi, que abordava “A Estética Funk Carioca: criação e conectividade em Mr. Catra”. Já em 2017, na 2ª edição, o prêmio principal foi dado a um trabalho do geógrafo Igor Martins Robaina, chamado “População em situação de rua, espacialidades e vida cotidiana”. Sua tese, posteriormente, foi transformada em um livro homônimo.

Maurício de Almeida Abreu, que dá nome ao prêmio, foi um geógrafo carioca de grande contribuição para o desenvolvimento da geografia histórica e urbana no Brasil. Professor titular do programa de graduação e pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tinha no Rio de Janeiro seu objeto de investigação. Sua obra mais conhecida é “Evolução Urbana do Rio de Janeiro”, livro lançado nos anos 1980 e no qual retrata, de maneira detalhada, os processos de transformação pelos quais passou a cidade. Campeão de vendas e esgotado nas livrarias, o livro está sendo reeditado pela livraria do Instituto Pereira Passos. A nova edição, também parte das comemorações do Bicentenário, deverá ser lançada até o final do ano.

  • 18 de outubro de 2022
  • Skip to content