Estação Pedra de Itaúna, do BRT, recebe projeto-piloto de automação de acessibilidade 

Publicado em 04/03/2022 - 16:41 | Atualizado
Estação Pedra de Itaúna foi a primeira a receber projeto de automação de acessibilidade para pessoas com deficiência - Divulgação

A Prefeitura do Rio, por meio da MOBI-Rio, informa que foi implantado, nesta sexta-feira (4/3), o projeto-piloto de automação de acessibilidade para pessoas com deficiência nas estações do sistema BRT. Pedra de Itaúna, na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, foi a primeira a ter o acesso de passageiros com deficiência monitorado remotamente pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da MOBI-Rio. A solução tecnológica permite a entrada e saída quando não houver um operador no local.

O acionamento é simples. Na catraca que permite o acesso de pessoas com deficiência foram instalados dois botões verdes, um do lado de embarque e outro do desembarque. O passageiro terá que pressionar, por cinco segundos, o botão. No momento do acionamento, um alarme é disparado no CCO. Através das câmeras, um operador poderá visualizar o que está ocorrendo na estação e abrir remotamente. Por meio do sistema de som instalado, o passageiro será avisado da liberação da catraca. A entrada e a saída só serão desbloqueadas após esse procedimento.

A automação das catracas para pessoas com deficiência será testada por 15 dias na estação Pedra de Itaúna. Após a avaliação do resultado, o sistema começará a ser instalado nas 46 estações que foram reformadas e reabertas no ano passado. E, depois, será estendido às outras estações do sistema. Vale lembrar que, normalmente, o acesso de pessoas com deficiência no transporte público se dá por meio de um cartão especial.

 

A automação das catracas para pessoas com deficiência será testada por 15 dias na estação – Divulgação
  • 4 de março de 2022