Sonho da casa própria realizado para mais 179 famílias, desta vez em Cosmos, na Zona Oeste

Publicado em 18/09/2019 - 13:28 | Atualizado em 18/09/2019 - 16:45
A manicure Maria Silvana André, de 54 anos, foi uma das 179 proprietários que receberam o RGI: "Aqui tenho paz". Foto: Hudson Pontes/ Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta quarta-feira, dia 18 de setembro, o Registro Geral de Imóveis (RGI) para 179 famílias do Condomínio Rio Bonito, em Cosmos, Zona Oeste da cidade. O documento garante a propriedade dos apartamentos e significa a realização do sonho da casa própria.  Os prédios, divididos em 15 blocos, foram inaugurados em 2012.

–  Esse documento (RGI) permite que você deixe o apartamento para seus filhos, netos, é uma herança. Guardem esse documento com carinho, pois esse é um diploma do seu esforço,  da sua luta – afirmou  Crivella.

Além do RGI, as famílias que moram no Condomínio Rio Bonito, em Cosmos, terão praça reformada. Foto: Hudson Pontes/ Prefeitura do Rio

Outras melhorias foram anunciadas para os moradores do conjunto, como a reforma da praça local, a instalação de uma quadra poliesportiva e uma Academia Carioca. O prefeito determinou também estudos de viabilidade para a instalação de uma estação do BRT nas imediações do condomínio e um quebra-molas, reivindicados pelos condôminos.

O dia de hoje é de festa para os moradores. O motorista Corinto Vieira, de 61 anos, disse que o RGI representa um marco para sua vida, com a esposa Rosângela dos Santos, 57 anos.

– Estamos às vésperas de completar 40 anos de casados. O documento consagra nossa união, que resultou em três lindos filhos, que agora têm um imóvel de herança – ressaltou Corinto.

O motorista Corinto Vieira, de 61 anos, disse que o RGI representa um marco para sua vida, com a esposa Rosângela dos Santos, 57 anos. Foto: Hudson Pontes/ Prefeitura do Rio

A manicure Maria Silvana André, 54 anos, conta que morava de favor em casa de parentes, em Lins de Vasconcelos, numa área de risco, quando foi sorteada com o apartamento, em 2012.

– Desde então, há sete anos, vinha lutando pelo RGI. Aqui sou feliz, num condomínio que não falta água, luz e, principalmente, paz – comentou Maria.

O secretário municipal de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, também exaltou a importância do RGI.

  • –  Desejo muita felicidade a todos e que vocês curtam bastante como proprietários definitivos dos apartamentos. Esse é o bem mais precioso da vida de vocês – comentou Bruno.

Os beneficiados foram sorteados por meio do programa Minha Casa Minha Vida, parceria da Prefeitura com o governo federal, via Caixa Econômica, para construção de habitações populares. Desde o início da atual gestão, o município já entregou o RGI a oito mil famílias, permitindo o acesso à escritura registrada, com valor de mercado. A previsão, até o fim desta gestão, é que cerca de 18 mil famílias recebam o documento. Nos últimos dois anos, já foram entregues cerca de 9 mil moradias construídas pelo Minha Casa Minha Vida, ajudando a realizar o sonho do  imóvel próprio para mais de 35 mil pessoas que vivem na cidade do Rio.

Hoje é dia de festa para os moradores do Condomínio Rio Bonito, em Cosmos, com o recebimento do RGI, documento que aguardavam desde 2012. Foto: Hudson Pontes/ Prefeitura do Rio

Saiba mais sobre o Minha Casa Minha Vida

Há duas formas de participação no programa: por reassentamento, quando famílias são retiradas de locais de risco ou são vítimas de desabamentos, deslizamentos ou temporais; ou por sorteio, quando o candidato se inscreve para ser contemplado com imóvel. O valor da prestação varia de R$ 80 a R$ 270 mensais.

Os interessados devem ter mais de 18 anos e se inscrever na Rua da Constituição 34, Centro. Para a adesão é preciso apresentar a documentação original do titular do cadastro e do cônjuge, se houver.

Os documentos são: carteira de identidade; certidão do registro civil; CPF; comprovante de residência; contracheque ou comprovante de benefícios que prove renda; certidão de nascimento de filhos menores de 18 anos.

Podem participar do programa pessoas que não têm casa própria ou financiamento habitacional em qualquer localidade do Brasil e que nunca foram beneficiadas por programas de habitação social do governo.

  • 18 de setembro de 2019