Prefeitura multa dono de mansão em R$ 2,6 milhões por acidente em túnel

Publicado em 10/07/2019 - 08:22 | Atualizado em 10/07/2019 - 20:09
Funcionários da Prefeitura do Rio trabalharam em remoção de escombros e lixo da cobertura de concreto que desabou no Túnel Acústico. Foto Maurício Val/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, lavrou nesta terça-feira, 9 de julho, multa, no valor de R$ 2.643.303,00, ao proprietário da mansão no Alto Leblon que provocou o deslizamento que interditou o Túnel Acústico Rafael Mascarenhas, em 17 de maio.

A multa não afasta a obrigação de recuperação do dano ambiental, conforme dispõe a Lei de Crimes Ambientais 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, e o Decreto 6.514, de 22 de julho de 2008.

Além da multa ambiental, o proprietário da casa no Alto Leblon poderá também responder a ação judicial para o ressarcimento da Prefeitura com os gastos na reparação estrutural do túnel, limpeza e desobstrução das vias.

Por causa do descarte irregular de lixo por parte do dono da residência no Alto Leblon, a encosta sobre o Túnel Acústico Rafael Mascarenhas deslizou, derrubando parte do teto da estrutura. No local, foram encontrados, entre outros objetos, pneus, eletrodomésticos e móveis.

Multa no valor de R$ 2,6 milhões foi expedida por conta de lixo que resultou no desabamento de parte do Túnel Acústico. Foto: Reprodução

 

Lixo despejado irregularmente no entorno de mansão causou acidente no Túnel Acústico em meados de maio. Foto Richard Santos/Prefeitura do Rio.
  • 10 de julho de 2019