Mães cariocas: exemplos de dedicação e persistência

Publicado em 09/05/2021 - 12:01 | Atualizado em 09/05/2021 - 14:10
Célia (de máscara vermelha) nunca mediu esforços para cuidar do filho com paralisia cerebral - Arquivo pessoal

Duas mulheres beneficiárias de programas da Secretaria Municipal de Habitação terão um Dia das Mães especial. Uma delas é Ana Célia dos Reis, de 51 anos,  cujo filho Eduardo, de 28 anos, tem paralisia cerebral. Eles  moram em um apartamento entregue pela SMH, no Centro do Rio. Quando o jovem nasceu, o médico informou que ele não falaria nem andaria, mas a mãe não se abalou.

 

– Eu não vejo isso nele. Meu filho hoje tem 28 anos e nunca falou nem andou. Sou mãe solteira, perdi minha mãe cedo e passei por muitas coisas sozinha. A mãe que tem um filho especial tem que correr atrás, lutar, agir com honestidade e respeitar cada um que apareça oferecendo uma palavra de carinho.

 

Célia, como é mais chamada, achava que não podia engravidar, por ter um sangramento de causa desconhecida pelos médicos.

 

– Sou aquela mãe que briga pelos direitos das pessoas com deficiência. Há 16 anos milito na área. Sempre lutei e sempre vou lutar pelo meu filho.

 

Vivendo há seis anos na unidade habitacional entregue pela Prefeitura, Célia se emociona ao lembrar das condições em que vivia com o filho anteriormente, num casarão no Catumbi,

– Antes eu tinha que pagar aluguel e não tinha condições. Tive várias vezes a luz cortada. Mas quando eu recebi da Prefeitura a unidade na Rua do Livramento, eu tive uma sensação linda, forte e verdadeira, como se fosse um segundo filho. Foi uma felicidade imensa, infinita. Não tem preço!

Célia faz questão de registrar que as mães devem manter a força e amar seus filhos profundamente, independentemente das condições em que se encontram.

– Que as mães nunca desistam de seus filhos especiais. As palavras sagradas para mim são: amor e respeito. Digo às mães que represento: amem intensamente, seja como for. Através do amor, a gente supera tudo.

Técnica de enfermagem superou complicações na gravidez

Já Daniele Mara se tornou mãe recentemente, depois de um longo período tentando engravidar. Beneficiária do programa Minha Casa Minha Vida, Daniele é técnica de enfermagem e mora no condomínio Tom Jobim V, na Pavuna. Quando recebeu a unidade, há cinco anos, conta que sentiu um misto de emoções.

– A alegria era tanta, que eu só sabia gritar e chorar por saber que eu estava em cima de um chão e debaixo de um teto que era meu, pois, para quem vivia em um barraco de madeira, sem banheiro, hoje vivo em um palacete – disse, ao lembrar do tempo em que morava em Guadalupe, sem nenhuma infraestrutura, sequer saneamento básico.

Para ter Antonella Vitória em seus braços, Daniele e o marido, juntos há 10 anos, passaram por um processo doloroso. Após tentar engravidar durante nove anos, além de ter tido um aborto em 2016, ela havia desistido de tentar. Até que, em meio à pandemia e na véspera do seu aniversário, ela descobriu que estava grávida novamente.

– Fiz um exame de farmácia e estava lá o meu positivo para honra e glória do senhor, me mostrando que é quando ele quer, no tempo dele, e não quando eu quero e na hora que eu quero. Hoje estou com meu pacotinho de amor, meu bebê arco-íris.

Mas a luta de Daniele, que também é modelo plus size e promove concursos para levantar a autoestima de mulheres que não convivem bem com sua forma física, não parou por aí. Ela teve insuficiência placentária e, com 31 semanas de gestação, seu bebê parou de crescer. Antonella nasceu com 36 semanas, com pouco mais de dois quilos.

– O nome dela tem um significado muito importante para mim. Se fosse menino seria Antônio, o nome do meu pai, que amo eternamente. Daí veio menina, e coloquei Antonella por ser uma variante de Antônio. E Vitória por ela ter sido muito guerreira e lutar para viver – explica.

Para finalizar, Daniele deixa um pedido em prol de todas as mães.

– Peço que Deus dê muita saúde, força e sabedoria para todas nós, mães e mulheres. Que esse Dia das Mães seja de muitas bênçãos e reflexões. Que tenham consciência de que foram e são mães excelentes. Curtam seus filhos da melhor forma possível. Desejo para todas as mamães e seus respectivos filhos o que eu desejo todos os dias para a minha filha: felicidade. Feliz Dia das Mães!

 

Danielle vibrou muito quando recebeu o apartamento da Prefeitura -Arquivo pessoal
  • 9 de maio de 2021