Canal do Mangue recebe limpeza para o Carnaval

Publicado em 24/01/2023 - 10:33 | Atualizado
No Canal do Mangue, os trabalhos ocorrem com a ajuda de equipamentos e no horário noturno, entre 22h e 5h - Divulgação

A Fundação Rio-Águas iniciou, nesta segunda-feira (23/1), a operação especial de limpeza do Canal do Mangue, nas proximidades do Sambódromo, em preparação para o Carnaval. O Rio Papa-couve, que passa sob a Rua Marquês de Sapucaí, também será beneficiado.

No Canal do Mangue, os trabalhos ocorrem com a ajuda de equipamentos e no horário noturno, entre 22h e 5h, para impactar menos o trânsito da Avenida Presidente Vargas e adjacências. O objetivo dos serviços é prevenir alagamentos na região central da cidade, principalmente no entorno do Sambódromo. Já no Papa-couve os serviços serão realizados de forma manual sob a Marquês de Sapucaí.

Um Canal do Mangue cheio de histórias

Vizinho do Sambódromo, o Canal do Mangue carrega histórias de muitos carnavais. Antes mesmo da passarela do samba existir, o emblemático canal já escoava as águas da parte central da cidade para a Baía de Guanabara.

A história do Canal do Mangue remete-se aos tempos coloniais brasileiros. O curso d’água que margeia as avenidas Francisco Bicalho, no Santo Cristo, e Presidente Vargas, no Centro, não era assim na época de D. João VI. Um grande mangue chamado São Diogo, que se estendia do Rocio Pequeno (nas adjacências da atual Praça Onze) para cima, ocupava a região da Cidade Nova.

Em 1857, foram iniciadas as obras de construção do canal, que foi entregue em 7 de setembro de 1860. Em 1905, no governo de Rodrigues Alves, concluiu-se o prolongamento do canal até a Baía de Guanabara.

Hoje, com 2,7 quilômetros de extensão, o Canal do Mangue drena parte da região central da cidade e da Tijuca. Os rios Papa-couve, Comprido e Maracanã deságuam diretamente neste canal.

  • 24 de janeiro de 2023
  • Skip to content