Prefeitura reforça combate ao comércio irregular e entrega mais 300 crachás do Ambulante Legal

Publicado em 11/04/2019 - 16:49 | Atualizado em 12/04/2019 - 11:13
O prefeito Crivella entrega crachá a ambulante legalizada da Zona Oeste, ao lado da inspetora Tatiana Mendes, comandantes da Guarda MunicipalO prefeito Crivella entrega crachá a ambulante legalizada da Zona Oeste, ao lado da inspetora Tatiana Mendes, comandantes da Guarda Municipal. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, realizou nesta quinta-feira, 11/4, mais uma ação de combate ao comércio ilegal. Ele entregou, no Palácio da Cidade, mais 334 crachás de identificação do Programa Ambulante Legal, dessa vez para quem atua nos bairros de Campo Grande e Santa Cruz, na Zona Oeste. Desde que o projeto foi lançado, em agosto de 2018, a Prefeitura já recadastrou sete mil ambulantes e distribuiu 600 novas licenças para aqueles que trabalham em bairros com grandes concentrações de comércio de rua.

– Nós precisamos levantar nossa vida econômica sobre a rocha, não é sobre areia. Sobre areia, na primeira tempestade, cai, sobre a rocha não vai cair. A rocha é a legalização. Agora, vocês são portadores de um documento da Prefeitura que vai dar a legalidade de sua atividade, e se vier outro querendo tirar você daquele local, você tem a Cidade do Rio de Janeiro ao seu lado, a Guarda Municipal, a Prefeitura, a Secretaria de Fazenda. A pessoa não vai conseguir, como antigamente, tirar você do seu lugar, te empurrando ou te ameaçando ou cobrando propina – disse Crivella, que fez questão de entregar pessoalmente o documento aos ambulantes.

As operações da Prefeitura contra o comércio ilegal têm sido constantes. Desde o final de fevereiro, por exemplo, uma força tarefa tem atuado nos corredores do sistema BRT. Nesse período, já recolheu mais de uma tonelada de produtos vendidos irregularmente, sendo 804 quilos só de biscoitos e doces. Também foram apreendidas geladeiras, carroças, bebidas alcoólicas, além de facões e até simulacros (falsas armas de fogo usadas em assaltos).

Outra ação da Prefeitura aconteceu no carnaval, quando agentes da Coordenadoria de Controle Urbano, da Secretaria Municipal de Fazenda, apreenderam mais de 10 mil itens vendidos irregularmente em cerca de 40 blocos na cidade e no entorno da Sapucaí.

Novo documento do Ambulante Legal facilita a fiscalização

 O documento de identificação dos ambulantes dispõe de QR Code, código de barras bidimensional de resposta rápida e que permite à fiscalização e à população acessar informações como o nome, o número de inscrição e as mercadorias que o ambulante está autorizado a comercializar. Por meio dessa tecnologia, também é possível verificar o local onde o trabalhador pode atuar na cidade.

O Ambulante Legal pretende organizar e facilitar a identificação dos ambulantes autorizados a trabalhar nos logradouros públicos, propondo, inclusive, a implantação de políticas públicas de qualificação profissional aos trabalhadores. O programa já chegou a sete bairros na cidade. Além de Santa Cruz e Campo Grande, os bairros de Copacabana, Leme, Méier, Madureira e a Feira do Calçadão de Bangu também já foram beneficiados pela política de ordenamento urbano implantada pela atual administração.

Também participam do evento o Secretário de Fazenda, Cesar Augusto Barbiero, o Secretário de Ordem Pública, Paulo Cesar Amendola, e a comandante da Guarda Municipal, Tatiana Mendes.